Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Um palacete (abandonado) à beira-mar

por Os bloggers, em 29.05.17

Quem nos segue já percebeu que temos um certo fascínio por espaços abandonados com histórias para contar... No topo das nossas preferências estão o Panorâmico de Monsanto e o Monte Palace dos Açores... Só estando nos locais se percebe a verdadeira magia!

 

Num dos últimos fins-de-semana fomos conhecer um outro "abandonado" que queríamos conhecer há uns tempos, a Casa da Quinta da Comenda (Palácio da Comenda), na Serra da Arrábida.

DSC09347.jpgDSC09401.jpg

O Palácio da Comenda está numa das encostas da Arrábida, a cerca de 2 km de Setúbal, banhado pelo estuário do Sado, com uma praia privada e de olhos postos em Tróia. Maravilhoso!
A origem do Palácio remonta ao século XVIII, tendo sido residência da mais alta Realeza Europeia. Foi reconstruído no início do séc. XX por um conceituado arquitecto da época e reza a história que Jacqueline Kennedy se refugiou com os filhos neste palácio aquando do assassinato de JFK, na altura propriedade de uns amigos pessoais dos Kennedy.

DSC09400.jpg

Depois de um passeio pela Arrábida chegámos facilmente ao Palácio. É impossível não ficar fascinado desde logo com a localização e pela imponência daquele edifício à beira-mar plantado, num local onde o Sado alcança o Oceano.

DSC09348.jpg

Chegando junto do Palácio são bem visíveis as marcas do abandono e vandalismo (do tempo e da mão humana). Adivinham-se belos painéis de azulejos, interiores e exteriores, já quase todos delapidados.

DSC09351.jpgDSC09393.jpgDSC09357.jpgDSC09391.jpg

O piso é irregular, exige muita atenção. Os vidros batem, por acção do vento... E ouvem-se ruídos da contínua devastação humana... As vistas, essas são soberbas!

DSC09385.jpgDSC09358.jpgDSC09382.jpgDSC09365.jpgDSC09368.jpg

Na maioria dos abandonados que visitámos cruzámo-nos com grupos de curiosos de máquina fotográfica na mão (como nós) e presenciámos algumas sessões fotgráficas. Aqui foi diferente (para pior)... Os curiosos de máquina na mão eram a minoria, contrastando com curiosos que ali estavam apenas para acelerar o processo de degradação... Triste, no mínimo... O Palácio da Comenda merecia um melhor fim!

DSC09355.jpgDSC09395.jpgDSC09396.jpg

E vocês, conheciam este Palácio?

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

CSIO Lisboa 2017

por Os bloggers, em 26.05.17

Até 28 de Maio, decorre no Hipódromo do Campo Grande a 97ª edição do Concurso de Saltos Internacional Oficial de Lisboa.

DSC02706.jpgDSC02695.jpg

Esta edição engloba várias provas, nomeadamente a Taça das Nações, prova de equipas que contará para a Liga Nations Cup e o Grande Prémio Audi que é qualificativo para o Campeonato da Europa 2017 e para o Jogos Equestres Mundiais de 2018. É uma excelente oportunidade para ver de perto grandes nomes do hipismo mundial, incluindo vários cavaleiros nacionais.

DSC02676.jpg

Nós fomos o ano passado pela primeira vez a este evento e adorámos o ambiente. As bancadas são relativamente confortáveis e perto do recinto de saltos, o que permite uma boa visualização de todo o percurso, é fácil estacionar gratuitamente nas imediações do Hipódromo do Campo Grande e a entrada no evento é gratuita.

DSC02650.jpg

Não há desculpas para não passar por lá!

Bons passeios e bom fim de semana!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30

O Moinho da Maré Mourisca

por Os bloggers, em 25.05.17

O Moinho de Maré da Mourisca, na Herdade da Mourisca, perto de Setúbal, é um dos quatro moinhos de maré no Estuário do Sado.

DSC09450.jpgDSC09448.jpg

Este moinho funcionou durante mais de 2 séculos, na moagem de cereais e produção de farinha. Até à década de 50 funcionaram oito mós em simultâneo!

DSC09407.jpgDSC09409.jpgDSC09419.jpg

Após alguns anos de abandono, o Moinho da Maré Mourisca foi um "abandonado" com final feliz, pois o Estado adquiriu o espaço e iniciou a sua recuperação em 1995, sendo hoje em dia possível visitá-lo.

DSC09416.jpgDSC09434.jpg

O Moinho está situado na Reserva Natural do Estuário do Sado, o que confere um cenário perfeito a envolver o Moinho. A fauna e a flora envolventes são muito diversas. Para além da visita propriamente dita ao Moinho, é possível fazer trilhos, observar aves e desfrutar da natureza. Consta que o nascer do Sol é imperdível, com grandes romarias de fotógrafos a "invadir" as margens do estuário à espera do espectáculo de luz que o nascer do Sol ali proporciona.

DSC09447.jpgDSC09431.jpg

No final da visita ao Moinho não deixem de aproveitar a pacatez do local e relaxar na esplanada da cafetaria do Moinho, saboreando a fantástica doçaria regional que ali se comercializa e se possível, regado com um delicioso Moscatel de Setúbal. Tão bom!

DSC09426.jpgDSC09424.jpgDSC09427.jpg

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

A desbravar a 7ª Bataria

por Os bloggers, em 23.05.17

A 7ª Bataria do Regimento de Artilharia de Costa de Outão, situada na Serra da Arrábida, foi uma importante unidade de defesa costeira do exército português, que esteve em actividade até 1998 e desde então está entregue ao abandono.

DSC09328.jpgDSC09343.jpgDSC09303.jpg

Do alto das suas instalações tem-se uma vista soberba sobre o Atlântico que contrasta com o seu estado de abandono. Cada recanto e cada janela para o mar oferecem uma paisagem única e deslumbrante.

DSC09296.jpgDSC09301.jpgDSC09309.jpgDSC09311.jpgDSC09302.jpg

Uma vez visitadas as instalações da 7ª Bataria, onde restam apenas as paredes, partimos até à zona dos canhões, virados estrategicamento sobre o mar. São canhões abandonados, mas "modernos", comparando com aqueles que estamos habituados a ver nos castelos - estes são designados Vickers de 152 mm de médio alcance.

DSC09323.jpgDSC09327.jpgDSC09331.jpg

DSC09330.jpgDSC09338.jpg

Apesar do elevado estado de degradação, as instalações são muito visitadas por curiosos e utilizadas para jogos de airsoft, proporcionando um cenário bélico com uma paisagem deslumbrante. 

DSC09341.jpg

Sabemos que também a 5ª Bataria, na Trafaria, está no mesmo estado, sendo possível visitá-la, mas quando tentámos a visita não tivemos sucesso a encontrar o acesso, vamos tentar de novo para vos trazer fotos do local.

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

É Sexta-feira... Yeee! #4

por Os bloggers, em 19.05.17

A-D-O-R-A-M-O-S Sextas-feiras!!!

Fim de semana livre para estar com a família e amigos... dormir... passear... calorzinho qb...

É tão bom o início do fim de semana!

 

Friday.jpg

 

É Sexta-feira... Yeeeeeeeeeee!!!

Bom fim de semana!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:30

"Esta coisa" de escrever no blog

por Os bloggers, em 18.05.17

Hoje apetece-nos dissertar acerca "desta coisa" de escrever no blog...

É simples... O nosso lema é partilhar as coisas boas da vida...

Ambos adoramos passear (quem não gosta!)... descobrir, explorar, conhecer novos sabores... Pena não haver mais tempo...

 

Wblog.jpg

 

Nos intervalos da azáfama do dia-a-dia (por entre computadores, papeladas, códigos, bases de dados, mails, reuniões, batas brancas, fatos verdes e bisturis), adoramos desfrutar da essência do que nos rodeia e apreciar paisagens, texturas e sabores.

No interior no nosso humilde Palacete acontece o resto: as experiências passam da memória para o blog. A XX sempre gostou de escrever, o XY acompanha (para não se ficar atrás)... E depois o XY tem imensas fotografias para mostrar, fruto de uma paixão cada vez mais crescente pela fotografia.

O blog serve quase como um diário, onde depositamos muitas das nossas aventuras, de forma ilustrada, para mais tarde recordar... e com a ideia de poder transmitir boas sugestões a quem está desse lado.

Serve também como uma fuga ao dia-a-dia, um universo onde respiramos um ar diferente. Escrever liberta o espírito (apesar de não ser um conto ou uma história) e seleccionar as fotos transporta-nos para sítios que nos transmitem boas sensações...

E é isto...

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:15

Uma Adega Especial

por Os bloggers, em 16.05.17

Quando pensamos em ir jantar fora em Lisboa, vamos muitas vezes parar a Carnide... Fica perto de casa, há muitos restaurantes de comida típica portuguesa, come-se bem e não é caro!

Numa das últimas idas ao tradicional bairro de Carnide (cada vez mais bonito!), fomos parar à Adega de Carnide.

 

Não conhecíamos a Adega de Carnide, mas a ementa e o ar pitoresco e confortável do espaço convidaram-nos a entrar.

O espaço é relativamente pequeno, mas está bem organizado e garante um jantar mais tranquilo do que em espaços maiores na zona. Os funcionários são simpáticos e o atendimento é bastante eficaz (como se quer).

 

As boas surpresas continuaram quando a comida chegou à mesa. Pedimos Naco de Entremeada com Migas Alentejanas e Porto Preto com batata frita e ananás. O serviço foi rápido, a comida estava saborosa e quantidade foi bastante generosa (de tal forma que não sobrou espaço para a sobremesa).

IMG_20170430_212432.jpgIMG-20170515-WA0000.jpg

A refeição ficou a cerca de 25 euros para os dois.

IMG_20170430_215803.jpg

Tendo em conta que não era a nossa opção inicial, este espaço foi uma agradável surpresa e sem dúvida que teve entrada directa na nossa lista de recomendações.

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Caminhada pelo Paço do Lumiar

por Os bloggers, em 11.05.17

No último fim de semana decidimos fugir dos principais pontos de atracção turística da cidade de Lisboa e fomos para a periferia. Entre algumas opções, acabámos por escolher o Paço do Lumiar.

O Paço do Lumiar é um dos 3 núcleos urbanos que integram a freguesia do Lumiar. Os terrenos do Paço do Lumiar eram propriedade do rei D. Afonso III, mais tarde foram doados por D. Dinis ao seu filho D. Afonso Sanches que se passaram a chamar de Paços do Infante D. Afonso Sanches, entretanto no reinado de D. Afonso IV esses terrenos receberam a designação que se mantém até hoje. Esta pequena povoação está repleta de belas e nobres quintas enquanto que nos terrenos limítrofes têm sido construídos condomínios, vivendas de luxo e até um extenso campo de golfe, mantendo-se esta zona como uma das mais nobres da cidade. 

DSC09570.jpgDSC09626.jpg

É aqui no Paço do Lumiar que estão instalados o Museu Nacional do Traje e o Museu Nacional do Teatro. Estes dois museus estão instalados em antigos palácios, o Museu Nacional do Traje está instalado no Palácio Angeja-Palmela e o Museu Nacional do Teatro está instalado no Palácio Monteiro-Mor. Estes palácios partilham o belíssimo Parque Botânico de Monteiro-mor, tendo este parque servido de cenário para o poema "No Lumiar" de Almeida Garrett. Sobre estes falaremos mais ao pormenor num próximo post.

 

A maioria dos palacetes e quintas encontram-se em bom estado, no entanto há alguns ao abandono, nomeadamente a Quinta de N. Senhora da Paz que curiosamente é património da Câmara Municipal de Lisboa e já apresenta sinais de vandalismo nos painéis de azulejos.  

DSC09562.jpgDSC09561.jpgDSC09559.jpg

Ao longo do passeio fomos encontrando alguns marcos históricos, como a casa onde faleceu o poeta Cesário Verde, quintas que foram residência de reis e rainhas, um antigo chafariz, bonitos painéis de azulejos e com a curiosidade, lá fomos espreitando alguns jardins destes palacetes. Este ano na rúbrica Lisbon Week que a Câmara Municipal promove todos os anos para destacar uma freguesia, foi possível visitar estas quintas e os seus belos jardins, mas com muita pena, não pudemos usufruir dessa oportunidade.

DSC09622.jpg

DSC09599.jpg

DSC09575.jpg

DSC09601.jpg

DSC09606.jpg

DSC09574.jpg

Como era muito comum na época, muitas das casas têm alminhas nas fachadas, algumas têm mesmo esculturas dos santos outras são painéis de azulejos. Passámos também pela Capela de São Sebastião e pela Igreja Paroquial do Lumiar.

DSC09638.jpgDSC09591.jpgDSC09596.jpgDSC09603.jpgDSC09610.jpgDSC09635.jpg

Das fachadas dos palacetes, destacamos a Quinta de São Sebastião na primeira foto do post, em baixo mostramos o pormenor da entrada da capela e a Quinta dos Azulejos (as duas fotos logo após a capela), são imponentes e muito belas, no entanto há outras que apresentam pequenos detalhes em azulejo que vale a pena admirar.

DSC09571.jpgDSC09641.jpgDSC09590.jpgDSC09594.jpgDSC09607.jpgDSC09576.jpg

Vale mesmo a pena caminhar por estas ruas para admirar este bonito património e se no final ficarem com fome, basta atravessar a Av. Padre Cruz e podem deliciar-se com os petiscos da taberna A Preciosa, a qual já vos falámos aqui.

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Roleta de Destinos

por Os bloggers, em 09.05.17

Provavelmente o título não será a melhor descrição para o site que encontrámos, mas passamos a explicar.

Enquanto andávamos a fazer algumas pesquisas de destinos para as férias, fomos ter ao site Travel Spin. É um site que se assume como um gerador aleatório de destinos. Apesar de apenas existir a versão inglesa, com um design apelativo aliado a uma interface intuitiva, é fácil navegar e cumpre com o que promete.

testes.png

Quando entramos no site salta-nos à vista um botão azul com a descrição em maíusculas "Inspire Me", basta clicar e começar a navegar nos destinos sugeridos. As fontes das sugestões apresentadas são os sites Wikitravel (informações gerais), 500px (fotografia), Rome2Rio, Google Maps e GeoPlugin. 

O primeiro destino que nos surgiu foi Bunaken, na Indonésia. Confessamos que não conhecíamos e ficámos apaixonados pelas fotos! 

Agora já não há desculpas para repetir os destinos!

Já conheciam este site ou recomendam algum parecido?

Bons passeios!

 

Link do site

Link do blog 

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:45

Marraquexe, o caos controlado! - Parte II

por Os bloggers, em 05.05.17

Nesta segunda parte da aventura marroquina, além dos pontos turísticos vou também sugerir alguns restaurantes onde se come muito bem e que durante a refeição podemos assistir a espectáculos de dança e música locais.

DSC03404.jpg

 

- La Menara

Também chamados de Jardins da Menara, são os jardins mais conhecidos de Marraquexe. O nome Menara vem do pavilhão com telhado verde que existe junto ao enorme tanque que armazena a água para regar o jardim, o olival e os pomares que ali existem. Este pavilhão foi construído no século XVI pela dinastia saadiana e renovado em 1869 pelo sultão Abd-el-Rhaman, que ali costumava ficar no verão. Segundo a lenda, o pavilhão servia também para encontros amorosos do sultão com as suas amantes, quando se fartava delas, atirava-as ao lago e elas transformavam-se em carpas.

A água do lago vem da Cordilheira do Atlas através de condutas. Na altura da visita o lago estava vazio para limpeza o que tirou grande parte da beleza ao local.

DSC03339.jpgDSC03348.jpgDSC03345.jpgDSC03349.jpg

 

- Túmulos Saadianos

Este complexo tumular data do tempo do grande sultão Ahmad al-Mansur Saadi (1578-1603) mas só foi descoberto em 1917. O mausoléu compreende os cadáveres de cerca de 60 membros da Dinastia Saadi distribuídos por 3 salas, sendo que a mais famosa é a sala das 12 colunas. Os túmulos são feitos de mármore italiano de Carrara. No exterior estão os túmulos dos guardas e um pequeno jardim.

DSC03372.jpgDSC03380.jpgDSC03385.jpg

 

- As portas da Medina

São cerca de 20 portas que rompem as muralhas da Medina. A mais conhecida e mais bonita é a porta Bab Agnaou. Esta porta foi o segundo edifício em pedra da cidade (o primeiro foi o minarete da Koutoubia) e dava acesso ao palácio real e zona envolvente.

DSC03358.jpgDSC03355.jpg

 

- Palácio Bahia

É uma das obras arquitetónicas mais importantes de Marrakech, demorou cerca de 10 anos a construir, estende-se por 8 hectares e tem 150 quartos unidos por jardins e terraços. Todos os quartos têm belíssimos tectos trabalhados. Hoje em dia são apenas salas vazias onde se podem apreciar os azulejos coloridos e os tectos. 

DSC03463.jpgDSC03467.jpgDSC03462.jpgDSC03451.jpgDSC03432.jpgDSC03460.jpg

 

No que respeita à gastronomia, vou enumerar os restaurantes onde comi e que recomendo a visita, tanto pela experiência como pela comida que era deliciosa.

Uma coisa que eu não sabia sobre Marrocos, eles têm a melhor melancia do Mundo! Nunca tinha comido melancia tão boa em lado nenhum!!

 

- Restaurante Palais Chahramane

No restaurante somos recebidos por um grupo de músicas marroquinas, algo muito diferente do que estamos habituados por cá. Já na sala, havia mais um músico que tocou durante a refeição. Quando à comida, não consigo dizer muito bem o que comi, mas tenho a certeza que comi cuscuz, frango, borrego e legumes, tudo muito bem condimentado e elaborado nas tajines.

DSC03485.jpgDSC03487.jpgDSC_0252.jpgDSC_0253.jpg

 

- Restaurante Palais Arabe

Este restaurante tem uma pequena fonte aromatizada com pétalas de rosa e a refeição também é acompanhada por músicas e danças. Vale a pena por toda a experiência, pela decoração e pela comida igualmente deliciosa.

IMG_20160612_134640.jpgIMG_20160612_135427.jpg

 

- Restaurante Chez Ali

Fica fora da cidade mas vale mesmo a pena a visita. Além de restaurante é toda uma experiência completamente diferente!

Somos recebidos com cenários das mil e uma noites, no caminho para as tendas onde é servida a refeição passamos por vários grupos etnográficos que representam os vários tipos de música, danças e cantares de Marrocos, durante a refeição cada um desses grupos faz uma apresentação individual e no final existe um espectáculo com com música berbere, cavaleiros, tapete mágico e danças árabes.

E o mais importante, a comida também é deliciosa.

IMG_20160612_210607.jpgDSC_0318.jpgIMG_20160612_212006.jpgIMG_20160612_212558.jpg

 

Como era um país com costumes muito diferentes dos nossos e estávamos em pleno Ramadão, estava um pouco receoso, principalmente porque queria fotografar e nas pesquisas que fiz haviam muitos relatos de "problemas", com pessoas que não queriam ser fotografadas ou não deixavam fotografar as suas bancas. Confrontei-me com essa limitação mas com alguns trocos tudo se resolvia. Apesar de toda a confusão que existe no Souk, nunca me senti inseguro ou em situação de risco, eventualmente na praça Jemaa El Fna é que podem haver alguns carteiristas.

Foi sem dúvida uma experiência diferente de todas as que tinha tido em viagem mas fiquei com muita vontade de voltar, não só a Marraquexe mas conhecer o resto do país e o deserto. Deixo mais algumas fotos das ruas e uma foto aérea só para terem noção que Marrocos não é só deserto.

DSC03360.jpgDSC03391.jpgDSC03478.jpgDSC03555.jpg

 

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Sigam-nos


O melhor blog do mundo


Instagram




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Links

  •  



  • subscrever feeds


    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.