Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A beleza das Cascatas do Rio Mourão

por Os bloggers, em 29.03.17

Não nos cansamos de descobrir cantos e recantos deste belo Portugal e quanto mais descobrimos mais percebemos que há muito por descobrir e que temos locais maravilhosos!

No último fim de semana solarengo fomos descobrir a Cascata do Rio Mourão, em Anços, Montelavar, muito perto de Sintra.

DSC08566.jpgDSC08535.jpg

A melhor forma de lá chegar é utilizar a estrada que liga Pêro Pinheiro a Negrais, desviar para Anços e procurar a placa indicativa da Cascata. O carro deve ser deixado nas imediações da placa. Aconselhamos o uso de calçado confortável para caminhada em terreno irregular, apesar de haver um caminho bem definido, o piso é irregular e com algumas pedras soltas, pelo que se recomenda também algum cuidado.

DSC08518.jpg

DSC08562.jpg

O dia estava Primaveril e cruzámo-nos com alguns grupos de pessoas a ir e a voltar da Cascata.

Seguimos por caminhos propositadamente construídos entre a vegetação e as ruínas de azenhas, o som da água corrente e saltitante deixa-nos perceber que aquele é o caminho certo, o entusiasmo cresce e começamos a vislumbrar um riacho. Descemos até junto da água e a montante ergue-se a cascata! É um sítio muito bonito!

 DSC08521.jpgDSC08559.jpg 

A paisagem serviu de palco para um mini-piquenique, numa das muitas rochas que ali existem e que parecem ter sido colocados no local para esse efeito, Serviu também como pano de fundo para muitas fotos!

DSC08555.jpgDSC08542.jpg

Já conhecem o local? Sugerimos uma visita!

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Uma Tarde em Arraiolos

por Os bloggers, em 15.03.17

Muito perto de Montemor-o-Novo ergue-se a vila de Arraiolos, conhecida pelos famosos Tapetes de Arraiolos.

A paisagem de Arraiolos é dominada pelo seu imponente Castelo circular, que tem um formato original e está altaneiro em relação ao casario caiado de branco, casario esse que compõe a paisagem.

DSC08213.jpg

Começámos por visitar o Castelo, calcorreando o seu interior e apreciando a paisagem através dele. Daqui seguimos para o centro da pitoresca vila, mais concretamente para o Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos.

DSC08130.jpgDSC08128.jpgDSC08133.jpgDSC08135.jpg

O Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos é um espaço museológico que tem como missão promover o estudo e a divulgação do Tapete de Arraiolos. Dá-nos a conhecer a história e evolução do Tapete de Arraiolos desde o século XVII até aos dias de hoje, exibindo tapetes originais com 2 e 3 décadas e algumas réplicas. A visita é bastante interessante e a entrada é de apenas 1 euro por pessoa.

DSC08161.jpgDSC08155.jpgDSC08152.jpgDSC08145.jpg

Lanchámos no centro de Arraiolos e provámos as iguarias locais, o Pastel de Toucinho e a Empada de Galinha, ambos muito saborosos. Energias recarregadas e fomos até à Aldeia da Terra, a 5 minutos de carro do centro de Arraiolos.

DSC08140.jpgDSC08163.jpgDSC08208.jpg

A Aldeia da Terra consiste num jardim de esculturas, conhecido como a aldeia mais caricata de Portugal. Este projecto, classificado de Interesse Cultural pela Secretaria de Estado da Cultura, é da autoria do artesão e artista plástico Tiago Cabeça que há mais de dezassete anos vem juntando prémios e distinções. Através das esculturas estão imortalizadas a maioria das figuras caricatas e típicas de Portugal. É um sítio engraçado e que vale a pena visitar, embora consideremos que o valor da entrada se torne um pouco elevado para uma família (5 euros por adulto e 3 euros para crianças).

DSC08167.jpgDSC08205.jpgDSC08206.jpgDSC08197.jpgDSC08189.jpgDSC08190.jpgDSC08184.jpg

Perto de Arraiolos ainda apreciámos a beleza das vinhas do Monte da Ravasqueira. Para a próxima vez que formos para aquelas paragens teremos de programar uma vista ao monte e ao seu Museu de Atrelagens...

DSC08223.jpg

Na estrada entre Arraiolos e Montemor-o-Novo parámos estrategicamente na Barragem dos Minutos e junto a uma quinta semi-abandonada, com uma escola que há muito deve ter perdido o poder de ensinar e que posou para nossa máquina fotográfica. Paisagens bonitas!

DSC08237.jpgDSC08124.jpg

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Escapadinha em Montemor-o-Novo

por Os bloggers, em 08.03.17

O prometido é devido e aqui está então o nosso post sobre a nossa mais recente escapadinha pelo Alentejo.

Foi no último fim-de-semana de Fevereiro que nos aventurámos novamente por terras alentejanas, desta vez por Montemor-o-Novo.

DSC07993.jpg

Trata-se de um cidade alentejana, do distrito de Évora, a pouco mais de 1 hora de Lisboa, muito perto de Arraiolos e de Vendas Novas, onde aliás também estivemos.

Trata-se de uma cidade simpática, com ruas pitorescas e vigiada pelo castelo que, lá no alto, domina a paisagem.

DSC08106.jpgDSC08088.jpg

O Castelo de Montemor-o-Novo abrigava originalmente nos seus muros a povoação que, ao crescer, se expandiu pela encosta a Norte. Documentos históricos confirmam que foi neste local que Vasco da Gama projectou a sua viagem para a Índia. Apesar de estar em ruínas, é um espaço agradável para se dar um passeio e por momentos voltar ao tempo dos reis. No recinto podemos ver o Convento da Saudação, a Igreja de São Tiago, o Centro Interpretativo do Castelo, escavações arqueológicas do antigo povoado, ruínas dos Paços do Concelho e Cadeia, ruínas do Paço dos Alcaides e a Igreja de S. João Baptista. Do Castelo avistámos também a cidade, os campos e vales circundantes. Enquanto lá andávamos percebemos que estavam a decorrer filmagens, possivelmente para um programa cultural. A entrada no recinto do castelo é gratuita.

DSC08092.jpgDSC08091.jpgDSC08114.jpgDSC08122.jpgDSC08109.jpgDSC08096.jpg

Mas as surpresas não são apenas as que aparecem nas alturas, descobrimos um belo segredo subterrâneo por aquelas paragens, que muito gostámos de explorar.

Estamos a falar da Gruta do Escoural, que foi descoberta em 1963 numa pedreira próxima de Santiago do Escoural. Aquilo que começou por se revelar uma câmara funerária utilizada na época Neolítica, veio a revelar outros segredos - pinturas e gravuras rupestres, as primeiras atribuídas em Portugal ao Paleolítico Superior. A visita visita começa no Centro de Interpretação em Santiago do Escoural, para nos familiarizarmos com a história do local e depois seguimos de carro para a Gruta (a cerca de 3 km), cuja história, pinturas e gravuras nos são detalhadamente apresentadas por uma simpática guia. É um espaço muito bonito e que nos despertou imensa curiosidade. Infelizmente não é permitido fotografar, por isso a foto do interior que apresentamos foi retirada da Web. As visitas carecem de marcação prévia, para mais informações espreitem aqui. A visita fica por 3 euros para os adultos, é gratuita para crianças até aos 12 anos e fica a 1,5€ para +65 anos e portadores do cartão jovem.

DSC07982.jpgDSC07984.jpg096.jpg

Depois de sairmos da Gruta do Escoural, fomos conhecer a Anta-Capela de Nossa Senhora do Livramento. Esta peculiar construção resulta de uma Anta Neolítica que terá sido erguida entre meados do IV e meados do III milénio a.C e que em meados do Séc. XVII foi transformada numa capela. É considerada Monumento Nacional desde 1910. A Anta-Capela está localizada numa herdade, a estrada é estreita e sinuosa mas vale a pena percorrê-la para ver este monumento, desfrutar da paisagem e do silêncio da planície alentejana.

DSC08000.jpgDSC08001.jpgDSC08015.jpg

Na nossa escapadinha ainda conhecemos um hotel especial, um restaurante típico (agradável surpresa!), demos um pulo a Arraiolos e passámos em Vendas Novas.

Não percam os próximos episódios!

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Final de tarde no Cabo Raso

por Os bloggers, em 13.02.17

Entre Cascais e o Guincho há mil e um pontos de paragem para admirar a beleza das arribas e em dias de agitação marítima, a imponência do mar e da rebentação das ondas faz-nos sentir pequeninos.

É um dos nossos sítios de eleição para passeios de Inverno, é fácil circular, tem muito estacionamento e se ficarmos com fome há alguns restaurantes / bares para petiscar enquanto desfrutamos da vista. Hoje troquei a XX pela máquina fotográfica e a paragem foi no Farol do Cabo Raso.

DSC07907.jpg

Com o fim de semana frio e chuvoso, no sábado aproveitámos para umas compras na loja Sueca mais famosa de Portugal, para desfrutar do sofá na companhia de chá e alguns filmes, já no domingo, a XX foi trabalhar e eu fiquei de serviço em casa. Depois dos móveis montados e a bricolage terminada, estava com o "bichinho" para ir fotografar um pouco, consultei algumas app's e todas me deram uma janela sem chuva entre as 18h e as 20h, era mesmo o que precisava!  

Cheguei mesmo no pico da "Hora Dourada" que rapidamente passou a uma explosão de cores colorindo as nuvens no céu numa mistura de laranja e púrpura. 

DSC07911.jpgDSC07915-2.jpg

O mar estava picado e não deu para ir para os sítios que tinha em mente, no entanto deu para "matar o bichinho". Nas fotos em cima, do lado esquerdo, é possível ver uma forte chuvada que estava a cair no oceano.

DSC07924.jpgDSC07927.jpgDSC07920.jpg

Foi um surpreendente final de tarde, sem vento, sem chuva e com um fantástico pôr do sol! 

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

A Lagoa Azul

por Os bloggers, em 08.02.17

Num dos últimos fins de semana em que o sol brilhou, não nos deixámos vencer pela preguiça e pelo frio e partimos à descoberta de mais um cantinho que nos andava a "chamar" há algum tempo.

Esta cantinho que vos trazemos hoje é a Lagoa Azul. Fica muito pertinho de Lisboa, no sopé da mística Serra de Sintra.

DSC07481.jpg

Apesar da proximidade de Lisboa esta lagoa passa despercebida à maioria, no entanto, para os fãs do Rally de Portugal não traz as melhores memórias visto que foi no troço da Lagoa Azul que aconteceu o fatídico acidente de 1986. 

DSC07451.jpgDSC07434.jpg

A zona é de fácil acesso tanto a pé como de carro e existe algum espaço que permite o estacionamento mesmo junto à Lagoa. É um local muito agradável para caminhadas pelos trilhos que existem em redor, para passear os animais ou simplesmentar desfrutar do silêncio da natureza (se não houverem provas no Autódromo) e da fauna local.

DSC07431.jpgDSC07463.jpg

Na Lagoa podemos encontrar carpas, mexilhão de água doce, cágados e algumas aves como o pato bravo, o chapim-rabilongo, o chapim-carvoeiro, rolas e pombas. Apesar da abundante biodiversidade e do aspecto calmo, não é aconselhável ir a banhos na Lagoa porque a água é imprópria para a prática balnear.

DSC07477.jpgDSC07479.jpg

Seguindo a estrada em direcção a Cascais, ou indo pelos trilhos pedonais na mesma direcção, encontramos a Barragem do Rio da Mula, outro fantástico lugar para desfrutar da Natureza.

DSC07485-2.jpg

Já conheciam ou já fizeram algum dos trilhos que por ali se encontram?

Bons passeios!

 

Coodernadas:
38° 46' 5.0333'' N

9° 23' 59.3387'' W 

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Mergulhar no Oceanário

por Os bloggers, em 01.02.17

Sabe sempre muito bem "mergulhar" no Oceanário e numa tarde percorrer todos os Oceanos e os diversos habitats marinhos do Mundo.

O Oceanário de Lisboa, desde que abriu ao público na Expo 98, é um verdadeiro oceano de sucesso, a mostrar, valorizar e na conservação da vida dos oceanos.

DSC07670.jpg

A última vez que lá tínhamos estado foi há sensivelmente um ano e no passado fim de semana "mergulhámos" novamente neste mundo dos mares (lembram-se da iniciativa do Planetário?).

A exposição permanente consiste num grande aquário central, com 5 milhões de litros de água salgada, com uma fauna e flora variada.

DSC07561.jpgDSC07715.jpgDSC07738.jpg

Durante a visita "mergulhamos" em quatro habitats marinhos. O percurso desenrola-se em dois níveis, o terrestre e o subaquático, atravessando as águas temperadas, tropicais e frias dos diferentes oceanos do planeta.

DSC07753.jpgDSC07781.jpgDSC07863.jpg

No ano passado apanhámos as lontras na hora da sesta, desta vez acertámos em cheio no horário "lunch time"... foi maravilhoso ver a Micas e a Maré divertidamente a digerir a sua refeição, dada por uma colaboradora do Oceanário. Este foi o ponto alto da visita!

 

DSC07624.jpgDSC07648.jpgDSC07684.jpg

Sabiam que as lontras têm um metabolismo muito acelerado e por isso precisam de comer diariamente o equivalente a 30% do seu peso, o mesmo que um humano adulto comer 100 hambúrgueres por dia? Ufa!!!

DSC07853.jpgDSC07810.jpgDSC07826.jpg

Para terminar a visita gostamos de nos sentar alguns minutos a contemplar as espécies do tanque central, entre todos, salta-nos sempre à vista o Peixe Lua pela sua invulgar forma e as Raias e Mantas que atravessam o tanque em "voos" majestosos.

DSC07816.jpgDSC07797.jpg

E vocês, há quanto tempo não visitam o Oceanário?

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Olhares de Montemor-o-Velho - I

por Os bloggers, em 25.01.17

Já vos falámos de Montemor-o-Velho noutras ocasiões, nomeadamente neste post para vos mostrar o belíssimo Castelo que é bem conhecido de quem faz as viagens entre Coimbra e Figueira da Foz.

DSC07520.jpg

Mas Montemor-o-Velho tem muito mais para oferecer além do seu altaneiro Castelo.

Terra de duras batalhas no tempo dos Reis, hoje em dia as batalhas são desportivas. Com vários planos de água é comum haverem concursos de pesca e a instalação do Centro de Alto Rendimento trouxe uma nova dinâmica à Vila, com provas nacionais e internacionais de diversas modalidades, como a Canoagem, Remo, Duatlo, entre outras.

 

IMG_20160423_185731.jpgIMG_20160423_153455.jpgDSC01411.jpg

Sendo uma zona agrícola, o coração dos campos do Baixo Mondego, a abundância de alimento ajuda a fixar várias aves nomeadamente as Cegonhas que preenchem as árvores à beira rio com os seus enormes ninhos.

DSC07530.jpg

Para os viajantes que gostem de pernoitar ao ar livre existe o Parque de Jogos e Merendas, outrora parque de Campismo mas que neste momento apenas dispõe de comodidades básicas para uma estadia muito curta, situa-se junto ao leito velho do Rio Mondego e é um local muito calmo e silencioso. Junto a este parque existe também a Capela de São Sebastião.

DSC07518.jpgDSC07521.jpgDSC07525.jpg

É também uma excelente escolha para os amantes de caminhadas e de ciclismo, sendo possível caminhar ou pedalar ao longo do leito do rio ou do canal de irrigação ou pelas estradas dos Campos do Mondego que ficam logo do outro lado do rio.

 

DSC07528.jpgDSC07527.jpgDSC01398.jpg

Estes são apenas alguns dos motivos pelos quais achamos que devem fazer uma paragem em Montemor da próxima vez que estiverem por perto, entretanto iremos mostrar outras "qualidades" desta bela e pacata Vila.

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Vulcão dos Capelinhos

por Os bloggers, em 04.01.17

Nada melhor do que começar o ano de forma explosiva (no bom sentido, claro!)... Referimo-nos a dedicar um post ao mais importante vulcão português da actualidade, considerado ainda um vulcão activo. Vamos hoje falar dos Capelinhos, como já vos tínhamos prometido aqui.

DSC06406.jpg

O Vulcão dos Capelinhos localiza-se nos Açores, na Ilha do Faial, na Ponta dos Capelinhos, a cerca de 20 minutos do aeroporto, e é um local único, com uma paisagem lunar magnífica.

Este vulcão esteve em erupção de 27 de Setembro de 1957 a 24 de Outubro de 1958 e marcou para sempre a Ilha do Faial. Por um lado provocou uma enorme vaga de emigração, por outro lado começou a cativar turistas. Portugal cresceu cerca de 2,50 km², com este vulcão que nasceu no mar e se juntou ao retalhe costeiro.

 

A paisagem é muito bonita e diferente do que estamos habituados a ver em Portugal. Vale a pena apreciar aquele solo quase lunar, que se avista logo à chegada. Avista-se também o antigo e emblemático Farol, que marcava o final de terra antes da erupção vulcânica. 

Durante a nossa visita ao Faial, nos Capelinhos apreciámos a paisagem, visitámos o Centro de Interpretação dos Capelinhos e subimos ao antigo Farol.

DSC06349.jpg

Do Centro de Interpretação pouco ou nada se vê, ou não estivesse ele estrategicamente escondido debaixo de Terra. O edifício encontra-se soterrado, de modo a não interferir com a paisagem pré-existente, permitindo desfrutar desta recente paisagem vulcânica. Para além de um conjunto de exposições, o Centro dispõe de um auditório e de uma exposição temporária de amostras de rochas e minerais.

DSC06395.jpgDSC06368.jpg

Seguimos então para o Centro de Interpretação, onde visitámos tudo o que havia para visitar - a exposição temporária, a exposição permanente, um vídeo acerca da origem da Terra e subimos ao antigo Farol. A visita completa ficou por 10 euros por pessoa. O Centro é visitável diariamente no Verão das 10 às 18h e de Terça a Domingo no Inverno das 10 às 17h.

DSC06372.jpgDSC06381.jpgDSC06376.jpg

Na visita revemos como se formou o nosso planeta, percebemos como se formou o Arquipélago dos Açores e somos quase transportados por relatos e imagens até à época de erupção dos Capelinhos. Muito interessante! Muito interessante é também a subida ao antigo Farol. São muitos degraus, mas vale a pena!

 DSC06403.jpgDSC06399.jpgDSC06394.jpgDSC06401.jpg

E por aí, quem é que já esteve nos Capelinhos?

DSC06410.jpg

Bons passeios!!!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Fomos ao Planetário!

por Os bloggers, em 21.12.16

O Planetário Calouste Gulbenkian, ali mesmo ao lado dos Jerónimos, faz parte do imaginário da nossa infância... Lembramo-nos perfeitamente de o ter visitado na Escola Primária e de termos ficado fascinados com as estrelas, os cometas, o som... lembram-se da música que acompanhava a viagem pelo mundo dos astros? Que memória deliciosa!

DSC07146.jpg

A iniciativa "Conheça o Espaço e o Mar num Vaivém" foi a oportunidade perfeita para re-visitar o Planetário e ainda receber um voucher gratuito para visitar o Oceanário. Só coisas boas!

DSC07139.jpgDSC07130.jpg

Soube muito bem visitar este local que guardávamos com muito carinho na memória. Embora sem provocar a mesma emoção da descoberta do Universo que sentimos na infância, gostámos da visita e considerámos que continua a ser um local muito didáctico para levar as crianças em idade escolar, o público alvo para a exibição.

E vocês, há quanto tempo não visitam o Planetário?

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:30

A melhor vista para a Ponte 25 de Abril

por Os bloggers, em 19.12.16

Existem diversos miradouros espalhados pelo Parque Florestal de Monsanto, alguns são de livre acesso e públicos, outros nem por isso, como é o caso do Panorâmico de Monsanto que tem a melhor vista sobre Lisboa e arredores!

DSC07161.jpgDSC02281.jpg

Mas há um que gostamos muito de espreitar sempre que damos uma volta por Monsanto, é de fácil acesso e tem uma vista soberba!

Este miradouro, apesar de não ter um nome oficial, é conhecido como o Miradouro do Bairro do Alvito por estar inserido neste bairro. Para nós, é sem dúvida a melhor vista para a Ponte 25 de Abril e o Cristo Rei. É também possível vislumbrar outros pontos da cidade como o Cemitério dos Prazeres e as torres do Amoreiras Shopping Center.

DSC02282.jpgDSC07185.jpgDSC07177.jpg

Este é um dos locais "secretos" de Lisboa que faz as delícias de fotógrafos profissionais e amadores para fotografar a cidade à noite, é um local fantástico para criar longas exposições com os carros que passam na Ponte e para aperfeiçoar esta técnica de fotografia.

DSC07163.jpgDSC07188.jpg

O Miradouro do Bairro do Alvito situa-se nas seguintes coordenadas: 38.7126689, -9.1800247.

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:30


Mais sobre mim

foto do autor


Sigam-nos


O melhor blog do mundo


Instagram




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.