Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



À mesa na Carrasqueira, O Rola

por Os bloggers, em 14.04.17

O nosso magnífico passeio no Cais Palafítico da Carrasqueira não podia ter terminado sem um excelente jantar por aquelas paragens ou não fossemos nós grandes apreciadores da gastronomia portuguesa.

DSC08494.jpgDSC08463.jpg

Foi assim que descobrimos O Rola, um restaurante típico local.

O espaço é simples e tradicional, sem grandes luxos... O verdadeiro luxo acontece entre as panelas e os tachos! Há sempre peixe fresco e iguarias locais, como o choco de coentrada, as amêijoas e as cascas de sapateira.

IMG_20170318_203136.jpg

Optámos por camarão da costa para entrada e por uma feijoada de búzios para prato principal. A feijoada estava óptima!!!

Selámos a refeição com um doce da casa.

Soube tudo muito bem, depois de um relaxante passeio pelo Cais Palafítico da Carrasqueira.

No final, a refeição ficou por cerca de 25 euros para os dois!

Melhor era impossível!!!

 

PS.: Já votaram hoje no momondo Open World Awards? Lembrem-se que podem votar uma vez por dia até dia 30 de Abril e para votar basta clicar aqui. Obrigado!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:30

Há sítios mágicos e o Cais Palafítico da Carrasqueira é sem dúvida um deles!

Estava na nossa mira há já alguns tempos ir à descoberta do Cais Palafítico da Carrasqueira, muito perto da Comporta, para apreciar o pôr do Sol e tirar uma fotos.

DSC08474.jpgDSC08466.jpg

Junto à aldeia piscatória da Carrasqueira a arte popular levou à construção do Cais Palafítico. Nas margens do Sado, que banham a Carrasqueira, nem sempre era fácil chegar às embarcações. Então, há mais de 2 séculos começou a erguer-se um cais em madeira, entre as margens baixas e lamacentas e o sapal. O Cais Palafítico está construído em ziguezage, sobre a água, com uma grande área para atracar as embarcações e um passadiço para circular. Funciona como local de trabalho, de recreio e de lazer...

DSC08502.jpgDSC08487.jpg

Ao pôr do sol acontece a magia... O espaço é improvável e já de si mágico, o pôr do sol desce sobre o mar, a Arrábida e o estuário do Sado servem de pano de fundo, com uma banda sonora suave, quase silenciosa, que brota da natureza!

É também um local muito visitado pelos amantes da fotografia, ao chegar perto da "hora dourada" os passadiços são "inundados" por fotógrafos em passo acelerado para conseguir o melhor spot. 

DSC08470.jpgDSC08481.jpgDSC08505.jpg

Se não conhecem, têm mesmo de ir lá, pois não há palavras e imagens que descrevam devidamente o local!

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Uma Tarde em Arraiolos

por Os bloggers, em 15.03.17

Muito perto de Montemor-o-Novo ergue-se a vila de Arraiolos, conhecida pelos famosos Tapetes de Arraiolos.

A paisagem de Arraiolos é dominada pelo seu imponente Castelo circular, que tem um formato original e está altaneiro em relação ao casario caiado de branco, casario esse que compõe a paisagem.

DSC08213.jpg

Começámos por visitar o Castelo, calcorreando o seu interior e apreciando a paisagem através dele. Daqui seguimos para o centro da pitoresca vila, mais concretamente para o Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos.

DSC08130.jpgDSC08128.jpgDSC08133.jpgDSC08135.jpg

O Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos é um espaço museológico que tem como missão promover o estudo e a divulgação do Tapete de Arraiolos. Dá-nos a conhecer a história e evolução do Tapete de Arraiolos desde o século XVII até aos dias de hoje, exibindo tapetes originais com 2 e 3 décadas e algumas réplicas. A visita é bastante interessante e a entrada é de apenas 1 euro por pessoa.

DSC08161.jpgDSC08155.jpgDSC08152.jpgDSC08145.jpg

Lanchámos no centro de Arraiolos e provámos as iguarias locais, o Pastel de Toucinho e a Empada de Galinha, ambos muito saborosos. Energias recarregadas e fomos até à Aldeia da Terra, a 5 minutos de carro do centro de Arraiolos.

DSC08140.jpgDSC08163.jpgDSC08208.jpg

A Aldeia da Terra consiste num jardim de esculturas, conhecido como a aldeia mais caricata de Portugal. Este projecto, classificado de Interesse Cultural pela Secretaria de Estado da Cultura, é da autoria do artesão e artista plástico Tiago Cabeça que há mais de dezassete anos vem juntando prémios e distinções. Através das esculturas estão imortalizadas a maioria das figuras caricatas e típicas de Portugal. É um sítio engraçado e que vale a pena visitar, embora consideremos que o valor da entrada se torne um pouco elevado para uma família (5 euros por adulto e 3 euros para crianças).

DSC08167.jpgDSC08205.jpgDSC08206.jpgDSC08197.jpgDSC08189.jpgDSC08190.jpgDSC08184.jpg

Perto de Arraiolos ainda apreciámos a beleza das vinhas do Monte da Ravasqueira. Para a próxima vez que formos para aquelas paragens teremos de programar uma vista ao monte e ao seu Museu de Atrelagens...

DSC08223.jpg

Na estrada entre Arraiolos e Montemor-o-Novo parámos estrategicamente na Barragem dos Minutos e junto a uma quinta semi-abandonada, com uma escola que há muito deve ter perdido o poder de ensinar e que posou para nossa máquina fotográfica. Paisagens bonitas!

DSC08237.jpgDSC08124.jpg

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Cama Emprestada | L'and Vineyards

por Os bloggers, em 09.03.17

Qualquer boa escapadinha envolve um bom hotel.

Durante a nossa escapadinha por Montemor-o-Novo escolhemos o L'and Vineyards para relaxar e ver literalmente as estrelas.

DSC08051.jpg

Este hotel nasceu no coração do Alentejo, rodeado por vinhas e por um lago artificial. É constituído por 22 suites, em estilo de pequenas moradias geminadas, e por uma bloco central onde funciona a recepção, restaurante e o spa.

DSC08085.jpg

Escolhemos uma suite com vista céu. As suites são óptimas, com uma sala espaçosa, um quarto grande e uma casa de banho gigante, com uma decoração minimalista, mas bastante cuidada. Para além disso ainda há um simpático pátio interior. A casa de banho e o pátio são dominados por duas grandes banheiras, em estilo de mini-piscina, que demoram entre 1 a 2 horas a encher e que permitem um belo banho de relaxamento!

DSC08029.jpgDSC08023.jpgDSC08074.jpgDSC08027.jpg

À entrada da suite, ainda na rua, existe uma lareira que podemos pedir para acender. O ponto alto e inovador da suite é que no quarto, mesmo por cima da cama, existe uma enorme janela panorâmica que nos permite adormecer a ver as estrelas. É como se estivessemos a acampar mas sabendo que no dia a seguir não vamos acordar com as costas todas doridas! Em todas as suites existe wi-fi gratuito, é possível pedir um iPad, existe uma garrafa de água de cortesia, máquina de café Nespresso com a possibilidade de se consumirem 2 cápsulas gratuitamente e chá gratuito.

DSC08041.jpgDSC08024.jpg

Para além da suite, que adorámos, o restante complexo não nos surpreendeu e não atingiu as expectativas (talvez por serem demasiado altas). O spa tem uma piscina interior e uma sauna agradáveis, mas para um hotel de 5 estrelas, faltou o jacuzzi e o banho turco. O pequeno-almoço foi o segundo ponto alto da estadia. A sala para o pequeno-almoço é ampla, luminosa, apresenta-se em comunhão com a natureza e as iguarias são óptimas, com produtos regionais frescos e de grande qualidade!

IMG_20170224_174050.jpgIMG_20170225_111444.jpgIMG_20170225_105422.jpg

Havia também uma piscina exterior com um aspecto muito agradável, mas o frio do Inverno não nos permitiu o mergulho. No entanto, serviu de espelho para umas fotos ao pôr do sol e na manhã seguinte.

DSC08050.jpgDSC08063.jpgDSC08065.jpgDSC08076.jpg

Os espaços envolventes das suites e complexo principal, são bonitos e as vinhas estão muito bem tratadas, o mesmo não podemos dizer do lago, que nitidamente precisa de manutenção. É de salientar o sossego e o silêncio em todo o complexo, a possibilidade de observar algumas aves em ambiente natural, desfrutar de caminhadas pelas vinhas e a possibilidade de alugar bicicletas para ir até Montemor-o-Novo. 

DSC08040.jpgDSC08084.jpg

É ainda possível desfrutar de uma refeição no restaurante do hotel, premiado com uma estrela Michelin, que serve pratos preparados com ingredientes de origem local e que podem ser acompanhadas por vinhos das vinhas envolventes. Ao final da tarde, optámos por dar uma volta pelo centro histórico de Montemor-o-Novo e acabámos por jantar num restaurante típico que adorámos, mas este ficou-nos debaixo de olho para uma próxima visita.

IMG_20170225_111502.jpg

Destacamos como pontos fortes da estadia a suite e tudo o que tinha para nos oferecer. Como pontos fracos destacamos o spa e o lago a precisar de manutenção, tendo em conta que se trata de um hotel de 5 estrelas, com preços entre os 215 e 289 euros por noite.

Em suma, é um sítio giro para um fim-de-semana diferente, mas com alguns aspectos a melhorar nas infra-estruturas conjuntas, o que faz com que hajam outras opções na mesma gama de preços e com uma oferta melhor.

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Escapadinha em Montemor-o-Novo

por Os bloggers, em 08.03.17

O prometido é devido e aqui está então o nosso post sobre a nossa mais recente escapadinha pelo Alentejo.

Foi no último fim-de-semana de Fevereiro que nos aventurámos novamente por terras alentejanas, desta vez por Montemor-o-Novo.

DSC07993.jpg

Trata-se de um cidade alentejana, do distrito de Évora, a pouco mais de 1 hora de Lisboa, muito perto de Arraiolos e de Vendas Novas, onde aliás também estivemos.

Trata-se de uma cidade simpática, com ruas pitorescas e vigiada pelo castelo que, lá no alto, domina a paisagem.

DSC08106.jpgDSC08088.jpg

O Castelo de Montemor-o-Novo abrigava originalmente nos seus muros a povoação que, ao crescer, se expandiu pela encosta a Norte. Documentos históricos confirmam que foi neste local que Vasco da Gama projectou a sua viagem para a Índia. Apesar de estar em ruínas, é um espaço agradável para se dar um passeio e por momentos voltar ao tempo dos reis. No recinto podemos ver o Convento da Saudação, a Igreja de São Tiago, o Centro Interpretativo do Castelo, escavações arqueológicas do antigo povoado, ruínas dos Paços do Concelho e Cadeia, ruínas do Paço dos Alcaides e a Igreja de S. João Baptista. Do Castelo avistámos também a cidade, os campos e vales circundantes. Enquanto lá andávamos percebemos que estavam a decorrer filmagens, possivelmente para um programa cultural. A entrada no recinto do castelo é gratuita.

DSC08092.jpgDSC08091.jpgDSC08114.jpgDSC08122.jpgDSC08109.jpgDSC08096.jpg

Mas as surpresas não são apenas as que aparecem nas alturas, descobrimos um belo segredo subterrâneo por aquelas paragens, que muito gostámos de explorar.

Estamos a falar da Gruta do Escoural, que foi descoberta em 1963 numa pedreira próxima de Santiago do Escoural. Aquilo que começou por se revelar uma câmara funerária utilizada na época Neolítica, veio a revelar outros segredos - pinturas e gravuras rupestres, as primeiras atribuídas em Portugal ao Paleolítico Superior. A visita visita começa no Centro de Interpretação em Santiago do Escoural, para nos familiarizarmos com a história do local e depois seguimos de carro para a Gruta (a cerca de 3 km), cuja história, pinturas e gravuras nos são detalhadamente apresentadas por uma simpática guia. É um espaço muito bonito e que nos despertou imensa curiosidade. Infelizmente não é permitido fotografar, por isso a foto do interior que apresentamos foi retirada da Web. As visitas carecem de marcação prévia, para mais informações espreitem aqui. A visita fica por 3 euros para os adultos, é gratuita para crianças até aos 12 anos e fica a 1,5€ para +65 anos e portadores do cartão jovem. Cliquem aqui para conhecer um pouco mais da gruta.

DSC07982.jpgDSC07984.jpg096.jpg

Depois de sairmos da Gruta do Escoural, fomos conhecer a Anta-Capela de Nossa Senhora do Livramento. Esta peculiar construção resulta de uma Anta Neolítica que terá sido erguida entre meados do IV e meados do III milénio a.C e que em meados do Séc. XVII foi transformada numa capela. É considerada Monumento Nacional desde 1910. A Anta-Capela está localizada numa herdade, a estrada é estreita e sinuosa mas vale a pena percorrê-la para ver este monumento, desfrutar da paisagem e do silêncio da planície alentejana.

DSC08000.jpgDSC08001.jpgDSC08015.jpg

Na nossa escapadinha ainda conhecemos um hotel especial, um restaurante típico (agradável surpresa!), demos um pulo a Arraiolos e passámos em Vendas Novas.

Não percam os próximos episódios!

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

É Sexta-feira... Yeee! #2

por Os bloggers, em 24.02.17

É Sexta-feira... Que felicidade!

E esta Sexta-feira tem um sabor especial, é que entrámos de fim de semana mais cedo e daqui a pouco vamos rumo à descoberta para uma mini escapadinha ainda em jeito de comemoração do dia dos namorados!

 

DSC00693.jpg

 

O destino será o Alentejo, para mais pormenores acompanhem-nos em directo no Instagram e em breve revelamos tudo no blog.

Bom fim de semana carnavalesco! Yeee!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:45

"Perdidos" pela Costa Vicentina...

por Os bloggers, em 28.04.16

No fim de semana grande andámos a passear pelo bonito Parque do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Portugal é mesmo um país cheio de contrastes, todos eles dotados de uma beleza ímpar!

Centrámo-nos em pleno coração do Litoral Alentejano.

 

A nossa base foi a tranquila vila de São Luís, onde passámos uns agradáveis dias com uns amigos naturais da zona.

Portugal não seria o mesmo se não tivesse nascido à beira mar plantado, com areais extensos, águas límpidas e um Sol encantador.

Os dias foram de descanso e em pleno contacto com a natureza.

Visitámos vários locais, de onde se destacam as praias. Assim, de Norte para Sul, visitámos as praias de: São Torpes, Vieirinha, Samoqueira, Porto Côvo, Praia dos Buizinhos, Praia do Pessegueiro (com vista para a Ilha do Pessegueiro), Aivados, Malhão, Milfontes, Furnas, Almograve e Zambujeira do Mar.

Estas praias são mesmo muito bonitas! As imagens são inteiramente reais e não nos deixam mentir!

IMG-20160427-WA0001.jpgIMG-20160427-WA0000.jpgIMG-20160427-WA0002.jpgIMG-20160427-WA0003.jpg

Com vista da costa para a Ilha do Pessegueiro ergue-se o Forte da Praia do Pessegueiro ou Forte de Nossa Senhora da Queimada. Este Forte e outro existente no topo da Ilha foram projectados na época filipina, para defesa da costa. Sofreram danos significativos com o terramoto de 1755. O Forte da Praia do Pessegueiro foi parcialmente recuperado, sendo possível visitá-lo (não perdemos a oportunidade, claro).

 IMG-20160427-WA0006.jpg

IMG-20160427-WA0004.jpg

Entre Almograve e a Zambujeira do Mar surge o Cabo Sardão, o ponto mais ocidental da Costa Alentejana. É um local tranquilizador e de uma beleza muito genuína.

IMG-20160427-WA0009.jpgIMG-20160427-WA0010.jpgIMG-20160427-WA0011.jpg

Para além de locais mágicos junto ao mar, um caminho de terra batida, junto à Carrasqueira (perto de São Luís e a caminho de Odemira), levou-nos até à Casa Branca, um espaço encantador, junto às margens do Rio Mira, onde a natureza pode ser apreciada no mais puro estado.

Pelo caminho conhecemos o Moinho da Agonia, um moinho adaptado a turismo rural, que será seguramente um sítio giro para passar uns dias em comunhão com a natureza.

IMG-20160427-WA0012.jpgIMG-20160427-WA0014.jpg

IMG-20160427-WA0015.jpg

Durante os nossos passeios há sempre espaço para um doce e, desta forma, não podemos deixar de experimentar os deliciosos gelados da Mabi em Milfontes. Recomendamos vivamente!

IMG-20160427-WA0008.jpg

Estivemos atentos a vários locais interessantes para uma bela estadia na zona e sendo assim sugerimos: Herdade do Amarelo, Naturarte, Corte Nova da Preguiça, Moinho da Asneira, Moinho da Agonia, Herdade do Touril, Zmar Eco Campo, Hotel Rural Moita Mar e Orbitur Sitava, entre outros.

 

Não deixem de aproveitar as dicas, o Litoral Alentejano é mesmo um sítio muito especial, que oferece uns dias tranquilos e sempre bem passados.

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:30

Pôr do Sol em Monsaraz

por Os bloggers, em 30.03.16

Para terminar a nossa escapadinha pelo Alentejo em grande, demos um pulinho à Vila Medieval de Monsaraz.

De Évora a Monsaraz são cerca de 50 minutos por estrada nacional. É uma viagem muito agradável, as planícies verdejantes a perder de vista salpicadas pelos sobreiros e montes com as casas caiadas de branco criam paisagens deslumbrantes.

Pelo caminho é obrigatória uma breve paragem em Reguengos de Monsaraz onde podemos visitar alguns vestígios megalíticos e a sua Igreja Matriz, em São Pedro do Corval, uma pequena freguesia que tem o título de primeiro centro Oleiro do País com cerca de 20 olarias em funcionamento e nas Antas do Olival da Pega.

 

Quando nos aproximamos de Monsaraz é possível vislumbrar no alto da colina a vila protegida pelas muralhas com o casario caiado de branco a contrastar com o castanho da fortaleza e de onde se destaca a Torre de Menagem.

DSC00845.jpg

DSC00849.jpg

Ao subirmos a colina a vista começa a transformar-se, passa a ser possível admirar do alto toda a beleza da planície alentejana e o enorme lago com pequenas ilhotas que a barragem do Alqueva criou.

Parámos no primeiro miradouro que fica a meio da colina mas já temos uma vista fantástica sobre o lago e onde nos podemos sentar nuns bancos a admirar a paisagem. Neste miradouro existe também uma estátua de homenagem ao Cante Alentejano.

DSC00866.jpg

DSC00872.jpg

Como o sol já se começava a pôr, apressámo-nos a fazer o resto do percurso para estacionar e visitar a vila. Não é possível entrar com o carro dentro das muralhas mas existem vários estacionamentos bem assinalados.

Assim que entramos nas muralhas é como se fizessemos uma viagem ao passado, as ruas de xisto negro a contrastar com o branco das paredes das casas e os apontamentos medievais bem conservados, é como se o tempo tivesse parado neste cantinho.

DSC00874.jpg

DSC00878.jpg

Pela vila existem vários pontos que merecem destaque como a Igreja Matriz de Santa Maria da Lagoa, o Castelo de Monsaraz e a sua Torre de Menagem, o Pelourinho, as lojas de velharias e artesanato local, a Porta de Évora, a Porta da Vila, os Antigos Paços da Audiência e os vários miradouros que se encontram ao longo das muralhas para admirar a imensidão da planície alentejana ou do lago de Alqueva.

DSC00877.jpg

DSC00881.jpg

DSC00917.jpg

DSC00957.jpg

DSC00951.jpg

Como o cansaço já se fazia sentir, decidimos que era altura de nos sentarmos e desfrutarmos do pôr do sol que foi simplesmente deslumbrante, um autêntico bailado de cores no céu. 

DSC00937.jpg

DSC00940.jpg

DSC00968.jpg

DSC00975.jpg

Para terminar esta visita e como precisávamos de alguma energia extra para a viagem, fizemos uma paragem na Taverna Os Templários onde degustámos uma saborosa sandes de presunto. Ficámos com vontade de voltar para degustar outras iguarias regionais na esplanada com vista para o lago do Alqueva.

Na saída ainda houve tempo para mais um registo fotográfico da Porta da Vila.

DSC00987.jpg

Agora que a reposição dos feriados é oficial, já não há desculpa para não visitarem este cantinho alentejano que é Monumento Nacional.

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:30

Um dia em Évora

por Os bloggers, em 16.03.16

Os dias estão maiores, o Sol voltou, já cheira a Primavera e nós aproveitámos logo para uma breve escapadinha!

Desta vez o destino foi o "coração" do Alentejo, Évora. 

Conhecíamos a cidade de visitas anteriores, mas nunca a tínhamos explorado como desta vez.

Évora é uma cidade cheia de história, com ruas pitorescas, casario branco típico da região, igrejas majestosos e praças enormes e cheias de vida.

 

DSC01017.jpg

 

Já chegámos ao final do dia e o hotel escolhido para passar a noite foi o M'AR De AR Muralhas que fica junto à entrada da cidade e apesar do estacionamento no hotel ser pago, é fácil estacionar a cerca de 5 minutos a pé e de forma gratuita.

 

Entrámos na cidade pela Porta do Raimundo e o nosso primeiro destino foi a Praça do Giraldo onde se situa o Posto de Turismo. Apesar de termos feito o trabalho de casa sobre os pontos turísticos, um mapa dá sempre jeito.

Já de mapa na mão, começámos a nossa jornada pela cidade.

 

1 - A Praça do Giraldo é a praça central da cidade, ladeada por bonitas arcadas, num dos topos tem a Igreja e a Fonte de Santo Antão e no centro é preenchida por mesas dos cafés e restaurantes. É uma praça cheia de vida dia e noite.

DSC00644.jpg

DSC00645.jpg

2 - Seguimos pelas ruas até à Praça de Sertório onde se encontra a Câmara Municipal instalada num bonito edifício do século XIX e as Termas Romanas.

DSC00646.jpg

3 - Largo Conde Vila Flor. É provavelmente o local mais conhecido de Évora porque é neste largo que se encontram as ruínas do Templo Romano. Neste largo também encontramos a Biblioteca Pública, a Igreja e Convento dos Lóios (Pousada), o Museu do Palácio dos Duques de Cadaval e um jardim com vista sobre a parte Norte da cidade.

DSC00655.jpg

DSC00658.jpg

DSC00665.jpg

4 - Descemos a rua e chegamos à Catedral de Évora. Um edifício romano-gótico majestoso dos Séculos XIII-XIV. A entrada é paga e tem diversas preços conforme o que se quer visitar. Nós não entrámos, porque tinhamos outros planos, ficou para uma próxima visita.

DSC00669.jpg

DSC00672.jpg

5 - Páteo de São Miguel, onde podemos admirar a beleza do Solar dos Condes de Basto e aproveitar a vista do miradouro.

DSC00680.jpg

DSC00678.jpg

6 - Seminário e Colégio do Espírito Santo / Universidade de Évora

DSC00686.jpg

DSC00687.jpg

DSC00688.jpg

7 - Largo da Porta da Moura, onde podemos admirar a beleza de uma janela manuelina-mudéjar.

DSC00697.jpg

8 - Largo da Graça, onde se destaca o encanto da fachada renascentista da Igreja da Graça.

DSC00703.jpg

DSC00704.jpg

DSC00708.jpg

9 - Praça de S. Francisco, onde se podem visitar várias atracções, das quais destacamos a Igreja Real de S. Francisco (Séc. XV-XVI) e o Claustro Gótico Capela dos Ossos (Sec. XVII). 

DSC00712.jpg

DSC00714.jpg

DSC00722.jpg

DSC00727.jpg

DSC00725.jpg

10 - O belíssimo Jardim Público e Palácio D. Manuel, ideal para descansar os pés e desfrutar da natureza no meio da cidade.

DSC00718.jpg

DSC00720.jpg

DSC00796.jpg

DSC00808.jpg

DSC00818.jpg

10 - Cerca Medieval de Évora, é visível em torno da cidade.

DSC00827.jpg

DSC00766.jpg

DSC00769.jpg

11 - Aqueduto da Água da Prata, troço monumental (1533-37).

DSC00764.jpg

DSC00754.jpg

 

12 - Pelo caminho entre estes pontos turísticos, atravessámos ruas, pequenas praças e admirámos pequenos detalhes históricos de propriedades privadas que também merecem destaque.

DSC00700.jpg

DSC00693.jpg

DSC00691.jpg

DSC00694.jpg

 

Além do interior da Catedral, ficou por visitar o Forte de Santo António e o Recinto Megalítico dos Almendres. Assim já temos pelo menos 3 excelentes "desculpas" para voltarmos a esta bela e pacata cidade alentejana .

Claro que com toda esta caminhada, tivemos de parar para recarregar as energias com umas iguarias típicas que terão o devido destaque num próximo post.

Podem consultar aqui os Horários e Preçário dos locais a visitar.

 

 Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Roteiro Foodie - Gustus & Sushi Alentejano

por Os bloggers, em 18.02.15

Gustus & Sushi Alentejano… Ou como quem diz, uma experiência gastronómica divinal!

Nos tempos modernos o Sushi tornou-se quase viral… Apesar dos resistentes (como em tudo na vida), tornou-se adorado pela maioria. E comida alentejana? Quem é que não gosta de um prato típico do nosso Alentejo? Todos gostam! E assim, do casamento perfeito entre o sushi e os melhores petiscos lusitanos, nasceu o mais original sushi do mercado!

 

O Restaurante Gustus & Sushi Alentejano nasceu em Lisboa, na Rua Ramalho Ortigão (junto ao metro de São Sebastião), em 2009. Tinha inicialmente outro nome (Eddy’s Kitchen), mas em 2010 cresceu e foi baptizado com o nome actual.

Neste restaurante há pratos para todos os gostos: petiscos, pratos tradicionais portugueses, hambúrgueres, sushi alentejano e sushi tradicional.

 

Vamos concentrar-nos no sushi alentejano, que é de facto o que o restaurante tem de mais original!

É uma combinação pouco provável, mas perfeita! A delicada junção do porco preto, javali, bacalhau, carapauzinhos, migas, alheira, farinheira e morcela, com o requinte do sushi, proporcionam uma experiência gastronómica imperdível!

 

IMG_20150131_214015.jpg

 

Algumas das iguarias presentes na foto:
Uramaki's fritos (à direita) de Salmão, Manga e Pera, Philadelphia, Cenoura, Goiabada, Daikon

(À esquerda)
Uramaki's de salmão, porco preto, alheira, frango, porco preto à javali, brás de bacalhau
Nigiri's de alheira, morcela, farinheira com abacaxi

 

Andávamos há séculos para provar a iguaria, mas nunca tinha surgido o momento ideal… Bem, o que andávamos a perder!

E para aqueles que depois desta explosão de sabores precisarem de um docinho para finalizar, o bolo de chocolate sem farinha é delicioso!

 

IMG_20150131_222936.jpg

Ainda aí está? Espere só um pouco, é que as boas notícias não se ficam por aqui… A Odisseias está com uma promoção óptima para o Gustus que nos permite conhecer um bocadinho de cada uma destas iguarias a um preço fantástico! Vá, não se atrase!

PS: Damos uma ajudinha, clique aqui!

 

Website: http://www.gustusrestaurant.com/#/inicio

Facebook: https://www.facebook.com/gustusrestaurant

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:20


Mais sobre mim

foto do autor


Sigam-nos


O melhor blog do mundo


Instagram




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Links

  •  




  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.