Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fomos às Francesinhas (no Porto)!

por Os bloggers, em 20.10.17

Uma escapadinha no Porto obriga naturalmente a petiscar uma bela francesinha.

Desta vez fomos experimentar as afamadas francesinhas do Café Santiago F, em frente ao Coliseu do Porto e literalmente a dois passos do nosso hotel. É provavelmente das casas mais conhecidas do Porto, havendo mesmo publicações internacionais de referência que aconselham a visita, nomeadamente o BBC Travel Show e o site theculturetrip.com no artigo "Europe’s Top 10 Local Flavours and Where to Find Them".

IMG_20171003_212616.jpg

Escolhemos a Francesinha Santiago - francesinha da casa que além dos ingredientes da francesinha tradicional, traz salsicha fresca e um ovo estrelado.

A francesinha estava óptima, não vamos dizer que foi a melhor que já comemos porque já comemos outras igualmente boas. Mas o que distingue esta das outras é o pão, levemente torrado que lhe confere uma textura estaladiça e o molho que estava divinal! Outro ponto a favor, a batata frita não é batata pré-frita. Soube mesmo muito bem depois de um dia a caminhar pela cidade! 

IMG_20171003_210129.jpg

Ainda houve espaço para partilhar uma Baba de Camelo. Estava igualmente excelente!

IMG_20171003_213011.jpg

Em suma, concordamos com as opiniões cibernaúticas e de vários amigos, de que as francesinhas do Café Santiago F são efectivamente de grande qualidade. Recomendamos!

Bons apetite!

 

Escapadinha pelo Porto - Parte 1

Escapadinha pelo Porto - Parte 2

Escapadinha pelo Porto - Parte 3

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Marraquexe, o caos controlado! - Parte II

por Os bloggers, em 05.05.17

Nesta segunda parte da aventura marroquina, além dos pontos turísticos vou também sugerir alguns restaurantes onde se come muito bem e que durante a refeição podemos assistir a espectáculos de dança e música locais.

DSC03404.jpg

 

- La Menara

Também chamados de Jardins da Menara, são os jardins mais conhecidos de Marraquexe. O nome Menara vem do pavilhão com telhado verde que existe junto ao enorme tanque que armazena a água para regar o jardim, o olival e os pomares que ali existem. Este pavilhão foi construído no século XVI pela dinastia saadiana e renovado em 1869 pelo sultão Abd-el-Rhaman, que ali costumava ficar no verão. Segundo a lenda, o pavilhão servia também para encontros amorosos do sultão com as suas amantes, quando se fartava delas, atirava-as ao lago e elas transformavam-se em carpas.

A água do lago vem da Cordilheira do Atlas através de condutas. Na altura da visita o lago estava vazio para limpeza o que tirou grande parte da beleza ao local.

DSC03339.jpgDSC03348.jpgDSC03345.jpgDSC03349.jpg

 

- Túmulos Saadianos

Este complexo tumular data do tempo do grande sultão Ahmad al-Mansur Saadi (1578-1603) mas só foi descoberto em 1917. O mausoléu compreende os cadáveres de cerca de 60 membros da Dinastia Saadi distribuídos por 3 salas, sendo que a mais famosa é a sala das 12 colunas. Os túmulos são feitos de mármore italiano de Carrara. No exterior estão os túmulos dos guardas e um pequeno jardim.

DSC03372.jpgDSC03380.jpgDSC03385.jpg

 

- As portas da Medina

São cerca de 20 portas que rompem as muralhas da Medina. A mais conhecida e mais bonita é a porta Bab Agnaou. Esta porta foi o segundo edifício em pedra da cidade (o primeiro foi o minarete da Koutoubia) e dava acesso ao palácio real e zona envolvente.

DSC03358.jpgDSC03355.jpg

 

- Palácio Bahia

É uma das obras arquitetónicas mais importantes de Marrakech, demorou cerca de 10 anos a construir, estende-se por 8 hectares e tem 150 quartos unidos por jardins e terraços. Todos os quartos têm belíssimos tectos trabalhados. Hoje em dia são apenas salas vazias onde se podem apreciar os azulejos coloridos e os tectos. 

DSC03463.jpgDSC03467.jpgDSC03462.jpgDSC03451.jpgDSC03432.jpgDSC03460.jpg

 

No que respeita à gastronomia, vou enumerar os restaurantes onde comi e que recomendo a visita, tanto pela experiência como pela comida que era deliciosa.

Uma coisa que eu não sabia sobre Marrocos, eles têm a melhor melancia do Mundo! Nunca tinha comido melancia tão boa em lado nenhum!!

 

- Restaurante Palais Chahramane

No restaurante somos recebidos por um grupo de músicas marroquinas, algo muito diferente do que estamos habituados por cá. Já na sala, havia mais um músico que tocou durante a refeição. Quando à comida, não consigo dizer muito bem o que comi, mas tenho a certeza que comi cuscuz, frango, borrego e legumes, tudo muito bem condimentado e elaborado nas tajines.

DSC03485.jpgDSC03487.jpgDSC_0252.jpgDSC_0253.jpg

 

- Restaurante Palais Arabe

Este restaurante tem uma pequena fonte aromatizada com pétalas de rosa e a refeição também é acompanhada por músicas e danças. Vale a pena por toda a experiência, pela decoração e pela comida igualmente deliciosa.

IMG_20160612_134640.jpgIMG_20160612_135427.jpg

 

- Restaurante Chez Ali

Fica fora da cidade mas vale mesmo a pena a visita. Além de restaurante é toda uma experiência completamente diferente!

Somos recebidos com cenários das mil e uma noites, no caminho para as tendas onde é servida a refeição passamos por vários grupos etnográficos que representam os vários tipos de música, danças e cantares de Marrocos, durante a refeição cada um desses grupos faz uma apresentação individual e no final existe um espectáculo com com música berbere, cavaleiros, tapete mágico e danças árabes.

E o mais importante, a comida também é deliciosa.

IMG_20160612_210607.jpgDSC_0318.jpgIMG_20160612_212006.jpgIMG_20160612_212558.jpg

 

Como era um país com costumes muito diferentes dos nossos e estávamos em pleno Ramadão, estava um pouco receoso, principalmente porque queria fotografar e nas pesquisas que fiz haviam muitos relatos de "problemas", com pessoas que não queriam ser fotografadas ou não deixavam fotografar as suas bancas. Confrontei-me com essa limitação mas com alguns trocos tudo se resolvia. Apesar de toda a confusão que existe no Souk, nunca me senti inseguro ou em situação de risco, eventualmente na praça Jemaa El Fna é que podem haver alguns carteiristas.

Foi sem dúvida uma experiência diferente de todas as que tinha tido em viagem mas fiquei com muita vontade de voltar, não só a Marraquexe mas conhecer o resto do país e o deserto. Deixo mais algumas fotos das ruas e uma foto aérea só para terem noção que Marrocos não é só deserto.

DSC03360.jpgDSC03391.jpgDSC03478.jpgDSC03555.jpg

 

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Marraquexe, o caos controlado! - Parte I

por Os bloggers, em 04.05.17

Foi nos feriados de Junho de 2016 que tive a oportunidade de fazer uma escapadinha de 2 dias à misteriosa e labiríntica cidade de Marraquexe em Marrocos. Desta vez a XX não pôde ir, por isso, além das fotos também tive de tomar notas sobre todos os locais que visitei, tarefa algo complicada numa cidade com um ritmo alucinante!  

DSC03458.jpg

Marrakech (Marraquexe) situa-se no sopé Norte da Cordilheira do Alto Atlas, sendo possível vislumbrá-lo ao longe. A moeda local é o Dirham marroquino mas o Euro também é aceite em alguns locais. Os hoteis costumam trocar Euro por Dirham à taxa de câmbio corrente mas também existem caixas ATM para levantar. Em média 1€ equivale a 10 Dirham.

 

É conhecida principalmente pela Mesquisa Koutoubia, pela Praça Jemaa El Fna repleta de vida com os encantadores de serpentes, faquires, engolidores de espadas, curandeiros, músicos, dançarinos, contadores de histórias e pelo seu enorme Mercado (Souk) composto por 18 "mini-mercados" (Souks) especializados e ligados por ruas labirínticas. Nas ruas estreitas dos Souks circulam bicicletas, motas e pessoas com carros de mão por isso temos que estar sempre atentos para não sermos atropelados, já nas ruas e avenidas, atravessar na passadeira é uma verdadeira aventura, ninguém respeita a passadeira e temos mesmo que nos "atirar" para a frente dos carros para que parem!

No meio desta confusão, toda a gente se entende e como os locais dizem, Marraquexe é um caos controlado!

DSC_0289.jpg

A TAP tem um vôo diário directo de Lisboa para Marraquexe, marcando com antecedência conseguem-se bons preços. O hotel escolhido foi o Hotel Atlas Asni, fica muito próximo do centro, cerca de 10 minutos a pé num trajecto seguro e com alguns pontos de paragem obrigatória.

 

Em 2 dias não é possível visitar tudo mas é possível visitar os principais pontos turísticos e sentir o ritmo frenético da cidade, o suficiente para nos fazer querer repetir a experiência. Os pontos turísticos estão descritos pela ordem que os visitei.

 

- Parque Lalla Hasna

Foi dos primeiros pontos de visita porque fica no trajecto entre o hotel e praça Jemaa El Fna. É um enorme jardim com fontes e muitas palmeiras, um verdadeiro oásis para fugir do calor abrasador da cidade e sempre com a Mesquita Koutoubia como pano de fundo. Aqui pude também encontrar os aguadeiros com as suas vestes coloridas.

DSC03410.jpgDSC03411.jpgDSC03407.jpgDSC03223.jpg

 

- Mesquita Koutoubia

É sem dúvida a imagem de marca de Marraquexe, sendo o monumento mais conhecido da cidade e provavelmente o mais fotografado. Com 69 metros de altura é o edifício mais alto de Marraquexe e é proibido construir qualquer edifício mais alto. Foi construída no Séc. XII e serviu de modelo para a torre La Giralda de Sevilha e para a Torre Hasan em Rabat. 

DSC03236.jpgDSC03240.jpgDSC03238.jpg

 

- Mercado de Marraquexe

Como já foi referido em cima, o Souk divide-se em 18 "mini-souks", cada um com a sua actividade. O Souk é um autêntico labirinto de ruas estreitas e muito semelhantes, no caso de se perder, basta pedir a alguém para nos ajudar a sair. A parte mais gira destes mercados é sem dúvida comprar tapetes, em algumas lojas quando damos conta já estamos sentados a beber um chá de menta e a regatear o preço de um monte de tapetes espalhado no chão. Neste caso convém já vir com alguns Dirham no bolso para ir distribuindo, seja para tirar fotos ou mesmo para o caso de pedir ajuda para sair dali.

Existem também as chamadas Pharmácias onde nos fazem uma apresentação de vários produtos, desde cosméticos, especiarias, "medicamentos" ancestrais como o viagra berbere, chás, etc. No final podemos comprar os produtos quase em jeito de leilão e ainda usufruir de uma massagem.

DSC03246.jpgDSC03248.jpgDSC_0296.jpgDSC_0297.jpgDSC_0302.jpgDSC_0304.jpgDSC03269.jpgDSC03514.jpgDSC03516.jpgDSC03494.jpgDSC03499.jpg

 

- Café des Épices

Um café de paragem obrigatória para um café, um chá ou uma refeição ligeira, situa-se numa praça que durante o dia se enche de cor com o colorido das especiarias e com as artesãs dos barretes de lã.

DSC03257.jpg

Praça Jemaa El Fna

Já na Praça Jemaa El Fna, foi possível ver os macacos que estavam sempre prontos para nos saltarem para cima da cabeça para uma foto,  sentir os cheiros que pairam no ar e ouvir os ritmos dos encantadores de serpentes. Mais uma vez convém ter alguns trocos no bolso porque as fotos são sempre a troco de dinheiro e também é preciso algum cuidado com os macacos porque podem sacar uma ou outra carteira. Para terminar este primeiro dia nada melhor do que desfrutar do pôr do sol ao sabor de um quente mas refrescante chá de menta na esplanada do Café de France. O Jantar foi nas "tasquinhas" que aparecem na praça com o cair da noite, uma verdadeira aventura gastronómica!

DSC03244.jpgDSC03288.jpgDSC03292.jpg DSC03310.jpgDSC03312.jpgDSC03314.jpg

 

E termina aqui esta primeira parte da aventura marroquina. A segunda parte também já está disponível e já pode ser lida aqui.

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Pequenas grandes viagens para os feriados

por Os bloggers, em 03.04.17

Já chegou a Primavera e logo de seguida o mês de Abril.

Os dias estão maiores e mais quentinhos (pelo menos em teoria... na prática nem sempre aquecem muito!).

Aproximam-se também três feriados: 14 de Abril, 25 de Abril e 1 de Maio... Estes três feriados permitem-nos fazer algumas pequenas viagens, que podem em muito fazer lembrar as férias de Verão.

 

Assim sendo, aqui ficam algumas sugestões:

 

- São Miguel em 2 Dias e Meio - São Miguel é um paraíso; a beleza dos campos, montes e vales é verdadeiramente genuína. As lagoas são imponentes e as Furnas parecem saídas de um conto de fadas. Maravilhoso! Saibam tudo aqui.

 

DSC09253.jpg

 

- Escapadinha na Terceira em 2 Dias e Meio - Cada Ilha dos Açores é única, sempre com o verde dos campos e o azul do Oceano como pano de fundo, mas com pormenores únicos que as distinguem. A Ilha Terceira é conhecida por grandes festas e muita animação. Visitámos a ilha no Inverno, o período não era festivo, mas divertimo-nos bastante a explorar os seus encantos. Para mais informações espreitem aqui,

 

DSC06633.jpg

 

- Um saltinho até ao Funchal - O Funchal é um sítio muito bonito e agradável para se passear. A cidade é muito simpática e harmoniosa. Há vários recantos para descobrir, sob uma temperatura habitualmente mais amena do que no continente. Mas não se fiquem só pelo Funchal, vale mesmo a pena explorar a ilha. Já lá estivemos mais do que uma vez, mas não temos nenhum post específico no blog, porque ainda não andávamos nestas andanças bloguianas. Temos de voltar!

 

IMGP3567.JPG

 

IMGP3585.JPG

 

- Sevilha, aqui tão perto - Ao preparar a viagem, nas pesquisas que fizemos sobre a cidade e sobre o que visitar, encontramos uma definição, com a qual concordamos e que resume em poucas palavras Sevilha e o seu ambiente: “Sevilha é a cidade sensual de Cármen, a cigarreira, e D. Juan, o conquistador. A cidade dramática do flamenco e da tourada, boémia dos estudantes e bons vivants, mas também popular nos seus bairros mais castiços. Tão exótica quanto tradicionalista, é cenário de um quotidiano que parece ensaiado. Nós somos os espectadoresin Rotas & Destinos. E foi com este mote que partimos à descoberta da cidade. Para saber mais cliquem aqui.

 

DSC02645.jpg

 

- Um dia em Salamanca - Foi há cerca de 1 ano que fomos pela primeira vez visitar Salamanca. Não conhecíamos Salamanca, uma cidade cheia de história e com uma das mais antigas universidades do mundo. Ficámos fascinados desde logo ao entrar na cidade, com a imponência e beleza das catedrais, que se destacam ao longe. Curiosos? Todas as informações aqui e aqui.

 

DSC03189.jpg

 

Divirtam-se e depois contem tudo!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Bem-vinda Primavera

por Os bloggers, em 20.03.17

Chegou a Primavera! 

Para sermos mais exactos, chegou às 10h29m e ficará por cá até dia 21 de Junho!

Tivemos uns últimos dias de Inverno bastante amenos, no entanto, a Primavera chegou tímida e muito fresquinha, pelo menos aqui por Lisboa! Mas de certeza que nos tem reservados dias muito quentinhos e solarengos durante os próximos 3 meses. 

IMG_20170320_093547.jpg

Com a chegada da Primavera, ocorre também a mudança para a chamada hora de Verão, por isso não se esqueçam de adiantar os vossos relógios 1h, no próximo dia 26 de Março.

Com o bom tempo aí e dias "mais compridos", já não há desculpas para se ficar no sofá! Vamos lá aproveitar para uns passeios e escapadinhas!

Bons passeios!!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30

Cama Emprestada | L'and Vineyards

por Os bloggers, em 09.03.17

Qualquer boa escapadinha envolve um bom hotel.

Durante a nossa escapadinha por Montemor-o-Novo escolhemos o L'and Vineyards para relaxar e ver literalmente as estrelas.

DSC08051.jpg

Este hotel nasceu no coração do Alentejo, rodeado por vinhas e por um lago artificial. É constituído por 22 suites, em estilo de pequenas moradias geminadas, e por uma bloco central onde funciona a recepção, restaurante e o spa.

DSC08085.jpg

Escolhemos uma suite com vista céu. As suites são óptimas, com uma sala espaçosa, um quarto grande e uma casa de banho gigante, com uma decoração minimalista, mas bastante cuidada. Para além disso ainda há um simpático pátio interior. A casa de banho e o pátio são dominados por duas grandes banheiras, em estilo de mini-piscina, que demoram entre 1 a 2 horas a encher e que permitem um belo banho de relaxamento!

DSC08029.jpgDSC08023.jpgDSC08074.jpgDSC08027.jpg

À entrada da suite, ainda na rua, existe uma lareira que podemos pedir para acender. O ponto alto e inovador da suite é que no quarto, mesmo por cima da cama, existe uma enorme janela panorâmica que nos permite adormecer a ver as estrelas. É como se estivessemos a acampar mas sabendo que no dia a seguir não vamos acordar com as costas todas doridas! Em todas as suites existe wi-fi gratuito, é possível pedir um iPad, existe uma garrafa de água de cortesia, máquina de café Nespresso com a possibilidade de se consumirem 2 cápsulas gratuitamente e chá gratuito.

DSC08041.jpgDSC08024.jpg

Para além da suite, que adorámos, o restante complexo não nos surpreendeu e não atingiu as expectativas (talvez por serem demasiado altas). O spa tem uma piscina interior e uma sauna agradáveis, mas para um hotel de 5 estrelas, faltou o jacuzzi e o banho turco. O pequeno-almoço foi o segundo ponto alto da estadia. A sala para o pequeno-almoço é ampla, luminosa, apresenta-se em comunhão com a natureza e as iguarias são óptimas, com produtos regionais frescos e de grande qualidade!

IMG_20170224_174050.jpgIMG_20170225_111444.jpgIMG_20170225_105422.jpg

Havia também uma piscina exterior com um aspecto muito agradável, mas o frio do Inverno não nos permitiu o mergulho. No entanto, serviu de espelho para umas fotos ao pôr do sol e na manhã seguinte.

DSC08050.jpgDSC08063.jpgDSC08065.jpgDSC08076.jpg

Os espaços envolventes das suites e complexo principal, são bonitos e as vinhas estão muito bem tratadas, o mesmo não podemos dizer do lago, que nitidamente precisa de manutenção. É de salientar o sossego e o silêncio em todo o complexo, a possibilidade de observar algumas aves em ambiente natural, desfrutar de caminhadas pelas vinhas e a possibilidade de alugar bicicletas para ir até Montemor-o-Novo. 

DSC08040.jpgDSC08084.jpg

É ainda possível desfrutar de uma refeição no restaurante do hotel, premiado com uma estrela Michelin, que serve pratos preparados com ingredientes de origem local e que podem ser acompanhadas por vinhos das vinhas envolventes. Ao final da tarde, optámos por dar uma volta pelo centro histórico de Montemor-o-Novo e acabámos por jantar num restaurante típico que adorámos, mas este ficou-nos debaixo de olho para uma próxima visita.

IMG_20170225_111502.jpg

Destacamos como pontos fortes da estadia a suite e tudo o que tinha para nos oferecer. Como pontos fracos destacamos o spa e o lago a precisar de manutenção, tendo em conta que se trata de um hotel de 5 estrelas, com preços entre os 215 e 289 euros por noite.

Em suma, é um sítio giro para um fim-de-semana diferente, mas com alguns aspectos a melhorar nas infra-estruturas conjuntas, o que faz com que hajam outras opções na mesma gama de preços e com uma oferta melhor.

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Escapadinha em Montemor-o-Novo

por Os bloggers, em 08.03.17

O prometido é devido e aqui está então o nosso post sobre a nossa mais recente escapadinha pelo Alentejo.

Foi no último fim-de-semana de Fevereiro que nos aventurámos novamente por terras alentejanas, desta vez por Montemor-o-Novo.

DSC07993.jpg

Trata-se de um cidade alentejana, do distrito de Évora, a pouco mais de 1 hora de Lisboa, muito perto de Arraiolos e de Vendas Novas, onde aliás também estivemos.

Trata-se de uma cidade simpática, com ruas pitorescas e vigiada pelo castelo que, lá no alto, domina a paisagem.

DSC08106.jpgDSC08088.jpg

O Castelo de Montemor-o-Novo abrigava originalmente nos seus muros a povoação que, ao crescer, se expandiu pela encosta a Norte. Documentos históricos confirmam que foi neste local que Vasco da Gama projectou a sua viagem para a Índia. Apesar de estar em ruínas, é um espaço agradável para se dar um passeio e por momentos voltar ao tempo dos reis. No recinto podemos ver o Convento da Saudação, a Igreja de São Tiago, o Centro Interpretativo do Castelo, escavações arqueológicas do antigo povoado, ruínas dos Paços do Concelho e Cadeia, ruínas do Paço dos Alcaides e a Igreja de S. João Baptista. Do Castelo avistámos também a cidade, os campos e vales circundantes. Enquanto lá andávamos percebemos que estavam a decorrer filmagens, possivelmente para um programa cultural. A entrada no recinto do castelo é gratuita.

DSC08092.jpgDSC08091.jpgDSC08114.jpgDSC08122.jpgDSC08109.jpgDSC08096.jpg

Mas as surpresas não são apenas as que aparecem nas alturas, descobrimos um belo segredo subterrâneo por aquelas paragens, que muito gostámos de explorar.

Estamos a falar da Gruta do Escoural, que foi descoberta em 1963 numa pedreira próxima de Santiago do Escoural. Aquilo que começou por se revelar uma câmara funerária utilizada na época Neolítica, veio a revelar outros segredos - pinturas e gravuras rupestres, as primeiras atribuídas em Portugal ao Paleolítico Superior. A visita visita começa no Centro de Interpretação em Santiago do Escoural, para nos familiarizarmos com a história do local e depois seguimos de carro para a Gruta (a cerca de 3 km), cuja história, pinturas e gravuras nos são detalhadamente apresentadas por uma simpática guia. É um espaço muito bonito e que nos despertou imensa curiosidade. Infelizmente não é permitido fotografar, por isso a foto do interior que apresentamos foi retirada da Web. As visitas carecem de marcação prévia, para mais informações espreitem aqui. A visita fica por 3 euros para os adultos, é gratuita para crianças até aos 12 anos e fica a 1,5€ para +65 anos e portadores do cartão jovem. Cliquem aqui para conhecer um pouco mais da gruta.

DSC07982.jpgDSC07984.jpg096.jpg

Depois de sairmos da Gruta do Escoural, fomos conhecer a Anta-Capela de Nossa Senhora do Livramento. Esta peculiar construção resulta de uma Anta Neolítica que terá sido erguida entre meados do IV e meados do III milénio a.C e que em meados do Séc. XVII foi transformada numa capela. É considerada Monumento Nacional desde 1910. A Anta-Capela está localizada numa herdade, a estrada é estreita e sinuosa mas vale a pena percorrê-la para ver este monumento, desfrutar da paisagem e do silêncio da planície alentejana.

DSC08000.jpgDSC08001.jpgDSC08015.jpg

Na nossa escapadinha ainda conhecemos um hotel especial, um restaurante típico (agradável surpresa!), demos um pulo a Arraiolos e passámos em Vendas Novas.

Não percam os próximos episódios!

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

A Expo 98 atingiu a maioridade!!!

por Os bloggers, em 08.07.16

A Expo 98 já foi há 18 anos!!!

Uma verdadeira eternidade e parece que ainda foi ontem!!!

IMG_20160318_131330.jpgDSC_0203.jpg

Ainda andávamos no secundário e tanto um como outro fomos à Expo 98 quer com os colegas de escola, quer com a família (em separado, ainda não nos conhecíamos!). Adorámos! Adorámos o Pavilhão da Utopia, o Pavilhão de Portugal... o de Macau, o do Sri Lanka, o da Swatch com a simulação das 4 estações... Os espectáculos de rua, os vulcões (que ainda hoje "explodem"), os passaportes para carimbar... Gostámos muito de tudo!!! 

DSC_0196.jpgDSC_0213.jpgDSC_0204.jpg

Bem, a nossa memória da Expo 98 remonta aliás aos tempos da escola primária (quase uma década antes do grande acontecimento), quando nos lembramos de participar num concurso para dar nome à mascote, que se viria a chamar Gil - um nome que se veio a revelar simples, mas engraçado e com significado para o povo lusitano. Também se recordam desta iniciativa? A XX lembra-se de ter sugerido o nome "Ondulino" ou "Ondino" para aquele boneco engraçado de cabelo em forma de onda. Eh eh eh!

IMG_20160318_131537.jpgDSC_0193.jpg

Bem, vieram-nos à memória estas lembranças da Expo 98 depois de termos estado no Parque da Nações no passado fim de semana a ver o Lisboa Air Race 2016.

DSC04049.jpgDSC03852.jpgDSC03800.jpgDSC03965.jpg

É muito agradável constatar que da Expo 98 nasceu uma pequena cidade dentro da cidade, o Parque das Nações, que se revela uma zona muito bonita de Lisboa. Portugal e Lisboa souberam re-aproveitar na perfeição aquilo que foi o recinto da Expo 98 e onde hoje gira grande parte da vida da capital.

Ficámos particularmente a dar valor a este facto, quando visitámos Sevilha e constatámos que o local da Expo 92 de Sevilha é praticamente um parque fantasma.

DSC02426.jpgDSC02422.jpgDSC02458.jpg

E que tal um passeio no Parque das Nações para matar saudades? :)

 

P.S.: Já repararam que temos aqui um passatempo para um super espectáculo?

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:30

Um dia em Évora

por Os bloggers, em 16.03.16

Os dias estão maiores, o Sol voltou, já cheira a Primavera e nós aproveitámos logo para uma breve escapadinha!

Desta vez o destino foi o "coração" do Alentejo, Évora. 

Conhecíamos a cidade de visitas anteriores, mas nunca a tínhamos explorado como desta vez.

Évora é uma cidade cheia de história, com ruas pitorescas, casario branco típico da região, igrejas majestosos e praças enormes e cheias de vida.

 

DSC01017.jpg

 

Já chegámos ao final do dia e o hotel escolhido para passar a noite foi o M'AR De AR Muralhas que fica junto à entrada da cidade e apesar do estacionamento no hotel ser pago, é fácil estacionar a cerca de 5 minutos a pé e de forma gratuita.

 

Entrámos na cidade pela Porta do Raimundo e o nosso primeiro destino foi a Praça do Giraldo onde se situa o Posto de Turismo. Apesar de termos feito o trabalho de casa sobre os pontos turísticos, um mapa dá sempre jeito.

Já de mapa na mão, começámos a nossa jornada pela cidade.

 

1 - A Praça do Giraldo é a praça central da cidade, ladeada por bonitas arcadas, num dos topos tem a Igreja e a Fonte de Santo Antão e no centro é preenchida por mesas dos cafés e restaurantes. É uma praça cheia de vida dia e noite.

DSC00644.jpg

DSC00645.jpg

2 - Seguimos pelas ruas até à Praça de Sertório onde se encontra a Câmara Municipal instalada num bonito edifício do século XIX e as Termas Romanas.

DSC00646.jpg

3 - Largo Conde Vila Flor. É provavelmente o local mais conhecido de Évora porque é neste largo que se encontram as ruínas do Templo Romano. Neste largo também encontramos a Biblioteca Pública, a Igreja e Convento dos Lóios (Pousada), o Museu do Palácio dos Duques de Cadaval e um jardim com vista sobre a parte Norte da cidade.

DSC00655.jpg

DSC00658.jpg

DSC00665.jpg

4 - Descemos a rua e chegamos à Catedral de Évora. Um edifício romano-gótico majestoso dos Séculos XIII-XIV. A entrada é paga e tem diversas preços conforme o que se quer visitar. Nós não entrámos, porque tinhamos outros planos, ficou para uma próxima visita.

DSC00669.jpg

DSC00672.jpg

5 - Páteo de São Miguel, onde podemos admirar a beleza do Solar dos Condes de Basto e aproveitar a vista do miradouro.

DSC00680.jpg

DSC00678.jpg

6 - Seminário e Colégio do Espírito Santo / Universidade de Évora

DSC00686.jpg

DSC00687.jpg

DSC00688.jpg

7 - Largo da Porta da Moura, onde podemos admirar a beleza de uma janela manuelina-mudéjar.

DSC00697.jpg

8 - Largo da Graça, onde se destaca o encanto da fachada renascentista da Igreja da Graça.

DSC00703.jpg

DSC00704.jpg

DSC00708.jpg

9 - Praça de S. Francisco, onde se podem visitar várias atracções, das quais destacamos a Igreja Real de S. Francisco (Séc. XV-XVI) e o Claustro Gótico Capela dos Ossos (Sec. XVII). 

DSC00712.jpg

DSC00714.jpg

DSC00722.jpg

DSC00727.jpg

DSC00725.jpg

10 - O belíssimo Jardim Público e Palácio D. Manuel, ideal para descansar os pés e desfrutar da natureza no meio da cidade.

DSC00718.jpg

DSC00720.jpg

DSC00796.jpg

DSC00808.jpg

DSC00818.jpg

10 - Cerca Medieval de Évora, é visível em torno da cidade.

DSC00827.jpg

DSC00766.jpg

DSC00769.jpg

11 - Aqueduto da Água da Prata, troço monumental (1533-37).

DSC00764.jpg

DSC00754.jpg

 

12 - Pelo caminho entre estes pontos turísticos, atravessámos ruas, pequenas praças e admirámos pequenos detalhes históricos de propriedades privadas que também merecem destaque.

DSC00700.jpg

DSC00693.jpg

DSC00691.jpg

DSC00694.jpg

 

Além do interior da Catedral, ficou por visitar o Forte de Santo António e o Recinto Megalítico dos Almendres. Assim já temos pelo menos 3 excelentes "desculpas" para voltarmos a esta bela e pacata cidade alentejana .

Claro que com toda esta caminhada, tivemos de parar para recarregar as energias com umas iguarias típicas que terão o devido destaque num próximo post.

Podem consultar aqui os Horários e Preçário dos locais a visitar.

 

 Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Escapadinhas para um fim de semana frio #2

por Os bloggers, em 04.12.15

Aproxima-se um fim de semana grande (pelo menos para alguns)... Nós temos a sorte de pertencer a esse grupo!

Para os felizardos que têm direito a um super fim de semana ficam aqui algumas dicas de sítios giros para pernoitar.

Bem, mas as dicas na realidade servem para todos, porque dois dias de fim de semana não são impeditivo de algumas escapadinhas por este nosso Portugal.

 

FF.jpegVista do Hotel Eurostars Oásis Plaza Figueira da Foz

 

 

Na semana passado seleccionámos 5 opções (espreitem aqui), hoje apresentamos mais 5:

1. Montebelo Vista Alegre Ílhavo Hotel, Ílhavo: é um hotel charmoso e delicado ou não tivesse ele nascido no seio da mais fina porcelana (contamos tudo aqui).

2. Hotel Eurostars Oásis Plaza, Figueira da Foz: sabe sempre tão bem acordar e olhar para a imensidão de um mar azul... E tudo se torna ainda mais especial se estivermos "num dos hotéis maus futuristas da Península Ibérica: aproado ao Atlântico e com 160 suites e estúdios de luxo a bombordo e a estibordo" (cliquem).

3. Hotel Areias do Seixo, Mexilhoeira (Póvoa de Penafirme, A-Dos-Cunhados): é um paraíso à beira do Atlântico, entre pinheiros, dunas e o mar, num cenário perfeito, recheado de paz, harmonia e requinte (vale mesmo a pena espreitar).

4. Hans Brinker Budget Hotel, Lisboa: podem sempre conhecer o pior hotel do mundo (não acreditam? Ora vejam aqui).

5. Aqualuz Tróia Resort, Tróia: de frente para o Atlântico e para a Arrábida este hotel de 4 estrelas oferece uma vista invejável e só por si terapêutica (espreitem).

 

Divirtam-se!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


Mais sobre mim

foto do autor


Sigam-nos


O melhor blog do mundo


Instagram




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Links

  •  




  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.