Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Arte Xávega na Fonte da Telha

por Os bloggers, em 02.10.17

A Arte Xávega é um tipo de pesca costeira artesanal que remonta ao Séc. XIX e que na Europa, apenas se pratica no nosso país. 

DSC02221.jpg

A palavra Xávega provém do termo árabe "xábaka" que significa rede e inicialmente só no Sul se usava esta denominação para este tipo de pesca. No Litoral Centro e Norte, praticava-se um género de pesca muito semelhante mas com outro tipo de barcos, adaptados às condições mais adversas do mar, chamando-se simplesmente "as artes", no entanto, por imposição da lei, todo o tipo de pesca por arrasto para a terra, passou-se a chamar de Arte Xávega.

Inicialmente as redes de pesca eram puxadas à mão, depois passaram a ser puxadas por juntas de bois e agora recorre-se aos tractores com guinchos para tratarem deste trabalho mais pesado.

DSC02267.jpg

Da nossa infância ainda nos lembramos de ver os barcos e as redes a serem puxados pelas juntas de bois na Praia da Tocha, na Praia de Mira, na Praia da Costa de Lavos e na praia de Buarcos. No entanto, esta arte, que também é uma tradição, tem desaparecido ao longo dos anos. Hoje em dia pode-se assistir à recolha das redes nas praias da Costa de Lavos, da Torreira, da Vagueira, de Mira, da Vieira, do Pedrógão, da Saúde e da Fonte da Telha.

 

Foi nesta última, na Praia da Fonte da Telha, que pudemos assistir a mais um dia de faina da temporada 2017, já que este tipo de pesca só se costuma praticar entre Março e Outubro. Do que nos recordávamos da infância, o arrasto da rede faz-se muito mais depressa com a ajuda dos tractores, assim como a entrada do barco na água, que agora é empurrado pelo tractor. Depois da rede estar toda em terra, faz-se a separação do peixe pela espécie e retiram-se de novo para o mar os que não cumprem com os requisitos.

DSC02222.jpgDSC02255.jpgDSC02259.jpg

Foi uma agradável surpresa poder recordar momentos da infância sem estarmos a contar! Para nós que estamos a assistir, o sincronismo com que as cerca de 15 pessoas se articulam a desempenhar as suas tarefas, sempre debaixo do olhar atento das gaivotas que tentam roubar um ou outro peixe, criam um belíssimo cenário.

DSC02237.jpgDSC02241.jpgDSC02270.jpg

Uma grande vantagem de apanhar este momento, é poder comprar algum peixe acabadinho de pescar e fresquinho, a um preço bem mais simpático do que se encontra no mercado!

DSC02310.jpgDSC02315.jpg

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:08

A nova "cara" do Panorâmico de Monsanto

por Os bloggers, em 28.09.17

Somos grandes fãs do Panorâmico de Monsanto. Este post (Portugal Escondido | A Melhor Vista de Lisboa) foi um dos post's iniciais do blog e desde então que se tem mantido como um dos mais lidos.

DSC02162.jpg

Apesar dos avisos por se tratar de uma propriedade privada e do seu acesso ser proibido, a verdade é que haviam grandes "romarias" até ao Panorâmico para desfrutar da vista ou fazer sessões fotográficas. Mas também havia muita gente que ia para lá só para fazer uns rabiscos nas paredes e nos painéis de azulejos que ali existem, azulejos que são verdadeiras obras de arte que se julgavam perdidas com tantos "graffitis" que tinham em cima. 

DSC02175.jpgDSC02212.jpg

Em meados de Julho deste ano já vos tínhamos falado neste post sobre a decisão da Câmara de Lisboa de proceder à limpeza do espaço, vedar os locais perigosos e colocar vigilância de modo a transformá-lo num Miradouro Oficial de Lisboa, pelo menos até se decidir o que vai ser. Talvez por estarmos em época de eleições, os trabalhos foram rápidos e desde o dia 2 de Setembro que já se pode visitar livremente e em segurança.

DSC02166.jpgDSC02163.jpgDSC02168.jpg

Como fãs, tivemos que lá ir mais uma vez para ver o resultado desta intervenção e ficámos muito satisfeitos! Todos os locais perigosos, como o poço do elevador, foram vedados, foram também colocados gradeamentos nas escadas e varandas, os vidros que restavam nos caixilhos foram removidos, todo o entulho assim como os estilhaços dos vidros foram removidos, os painéis de azulejos foram limpos, voltando a ser possível visualizar as suas pinturas e foram colocadas placas de sinalização e informação.

DSC02176.jpgDSC02171.jpgDSC02202.jpg

Agora miúdos e graúdos podem usufruir livremente daquele espaço e da vista quase 360º que oferece, sem o risco de se magoarem ou o risco de serem identificados pela PSP por estarem a invadir propriedade privada.

DSC02192.jpgDSC02180.jpgDSC02181.jpgDSC02186.jpg

O espaço pode ser visitado das 9h às 19h até 30 de Setembro e de 1 de Outubro até 31 de Março das 9h às 18h. A entrada é gratuita.

Todas as fotos deste post são da "nova cara" do Panorâmico.

Bons passeios!

 

GPS

N 38° 43' 43.298''

W 9° 11' 4.139''

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:34

À descoberta da Praia da Ursa - Que aventura!

por Os bloggers, em 28.08.17

No feriado do 15 de Agosto decidimos ir à descoberta da Praia da Ursa, a praia mais Ocidental da Europa, em Sintra.

Já há muito que estávamos com curiosidade de descobir este pequeno paraíso escondido entre as falésias de Sintra.

DSC00612.jpg

Não foi fácil chegar lá (lá perto, por assim dizer)... Decidimos recorrer à modernice do GPS e rapidamente percebemos que o melhor era mesmo ir à moda antiga... placas e mapas! O GPS gentilmente enviou-nos para uma estrada de terra batida, que parecia não ter saída... E de facto não tinha... A estrada levou-nos ao acesso de uma quinta privada! Bonito!

Através da vista de satélite do Google Maps no telemóvel lá nos orientámos... Os dois acessos possíveis para a Praia da Ursa ficam muito perto do Cabo da Roca (a poucos metros)...

DSC00610.jpgDSC00629.jpg

Escolhemos o que nos pareceu mais directo para a praia... Mas falhámos na escolha (nem sempre corre bem!)... Estacionámos na estrada principal e ... Andámos... Andámos... Andámos... A vista pelo caminho é deslumbrante.... E chegámos a umas falésias... Vimos a Praia da Ursa bem de perto e apreciámos toda a sua beleza, mas não nos atrevemos a utilizar o caminho definido entre as pedras, utilizado por muitos, mas aparentemente impróprio para quem caminhava de chinelos de praia como nós... Percebemos que havia outro caminho oposto (o do outro estacionamento que não escolhemos) que seguramente é menos sinuoso e mais utilizado...

DSC00617.jpgDSC00623.jpg

Apreciámos a paisagem e, como o tempo não era muito, não fomos explorar o outro caminho. Fica para breve, desta vez foi uma aventura incompleta!!!

DSC00618.jpg

E vocês, conhecem a Praia da Ursa?

Dicas para lá chegar?

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Duna da Cresmina

por Os bloggers, em 23.08.17

Somos fãs da Praia do Guincho, principalmente pela sua paisagem envolvente mas também pelo mar que é mais parecido com o tipo de mar com que crescemos na Figueira da Foz. No entanto, para conseguirmos fazer praia no Guincho é preciso que os astros estejam todos alinhados para não estar uma tempestade de areia que envergonha as tempestades de areia do deserto!!

Na última vez que tentámos fazer praia por lá, os astros estavam mesmo loucos! Em vez de nos estendermos ao sol, recebemos um esfoliação a jacto de areia nas pernas, tal era a força do vento!! Já para os amantes do Windsurf e do Kitesurf, estava de feição!

DSC00651.jpg

A vantagem da Praia do Guincho é que numa situação destas, existem à volta e bem pertinho outras opções para se passar uma tarde relaxada, como alguns parques de merendas para piquenicar, ou então, passear e desfrutar da paisagem da Duna da Cresmina.

DSC00666.jpg

A Duna da Cresmina, inserida no Parque Natural de Sintra-Cascais, é uma pequena parcela do sistema dunar Guincho-Oitavos. Este sistema dunar destaca-se pela passagem das areias na plataforma rochosa do Cabo Raso, empurradas pelo vento desde a praia da Cresmina e do Guincho, retornando ao mar mais a Sul, entre Oitavos e Guia.

DSC00674.jpgDSC00683.jpg

Na Duna da Cresmina existe um Núcleo de Interpretação que tem o objectivo de dar a conhecer a fauna, a flora e o sistema dunar através de uma exposição fixa. Aqui existe também um bar de saladas / creperia, aberto todo o ano, com uma vista 180º que se estende desde o Cabo Raso até à Serra de Sintra, que se pode desfrutar dentro do espaço ou na esplanada envidraçada.

IMG_20170815_170209.jpgDSC00685.jpgDSC00686.jpg

Ao longo da duna existem passadeiras que permitem passear e observar a fauna e a flora. É possível observar algumas aves, nomeadamente a Alvéola-branca, o Borrelho-grande-de-coleira ou o Cartaxo, mas mais fácil de observar é a Lagartixa-da-areia. No que respeita a plantas, as mais fáceis de identificar são a Raíz-divina, o Cardo-marítimo e o Miosótis-das-praias, podendo-se observar outras espécies.

DSC00692.jpgDSC00669.jpgDSC00670.jpgDSC00671.jpgDSC00673.jpg

Se passarem pelo Guincho, "percam-se" por este pequeno "deserto" ou se preferirem, podem optar por uma visita guiada, mas esta requer marcação prévia.

DSC00684.jpg

Bons passeios!

 

Morada:

Núcleo de Interpretação da Duna da Cresmina

Rua da Areia, Cresmina

Guincho-Cascais

Coordenadas:

38°43'35.415" N

9°28'15.909" W

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Parque dos Moinhos de Santana

por Os bloggers, em 14.08.17

Há alguns dias deram-nos uma dica no Instagram sobre um fantástico parque no Restelo que se distingue por possuir dois moinhos de vento, ficámos logo com o bichinho para o conhecer. Aproveitando o quente final de tarde de sábado, estavam reunidas as condições para conhecer este parque, o Parque dos Moinhos de Santana

DSC00552.jpg

O Parque dos Moinhos de Santana, como já referimos, tem a particularidade de possuir dois moinhos de vento que datam do Século XVIII, sendo os únicos moinhos restaurados que testemunham a actividade moageira que abastecia de farinha a cidade de Lisboa.

DSC00530.jpg

O Parque abriu ao público em 1997 e encontra-se muito bem preservado. Nos seus 5 hectares, possui enormes relvados com árvores adultas que criam muito sombra e permitem agradáveis piqueniques, se preferirem algo mais cómodo, existe também um parque de merendas com mesas, um enorme parque infantil, um lago, uma cascata, um ringue de patinagem, um circuito de mini-golf e sanitários. Durante o nosso passeio encontrámos também alguns gatinhos muito dóceis que pareciam ser "habitantes" do jardim e também tivemos a oportunidade de apanhar pinhas com pinhões.

DSC00545.jpgDSC00501.jpgDSC00525.jpg

Em relação aos moinhos, apesar de se notar que foram restaurados, neste momento já necessitam de mais alguns cuidados, nomeadamente ao nível do cata-vento que já se encontra danificado.

DSC00509.jpgDSC00541.jpgDSC00532.jpgDSC00536.jpg

Durante o passeio pelo parque já nos tinha saltado à vista a Ponte 25 de Abril e o Cristo Rei, mas é quando chegamos junto aos moinhos que podemos vislumbrar toda a vista sobre Belém e o Rio Tejo. Além de ser um bonito parque é também mais um bonito Miradouro de Lisboa.

DSC00534.jpgDSC00521.jpg

O estacionamento na zona é muito fácil e o acesso ao parque é gratuito, mas convém não esquecer o horário de funcionamento, que até ao final de Setembro é entre as 9h e as 20h. E fecha mesmo às 20h, distraímo-nos um pouco e quando chegámos ao portão já estava encerrado!

Quem diria que no meio da cidade havia algo deste género!

DSC00522.jpg

Bons passeios!

 

Parque Moinhos de Santana

Rua Trisão Vaz, Lisboa

Coordenadas:
38° 42' 33.14'' N
9° 12' 21.44'' W

Horário
Outubro a março das 09h00 às 18h00
Abril a setembro das 09h00 às 20:00

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

A magia das salinas

por Os bloggers, em 08.08.17

Não é novidade que gostamos de salinas, quer para dar um passeio e relaxar, quer para disparar uns cliques. O cenário é bonito e muito tranquilo! Quase mágico!

No ano passado fomos a banhos numa salina em Aveiro e já este ano andámos a descobrir os caminhos de Alcochete, onde não faltou também um passeio pelas Salinas do Samouco.

DSC00427.jpgDSC00452.jpgDSC00444.jpg

No último fim de semana, e enquanto as férias teimam em não chegar, decidimos dar um passeio nas Salinas da Figueira da Foz. Desta vez ficámos a conhecer um pouco mais acerca da salicultura, ao descobrir a Quinta da Salina do Morro e o sr. Carlos, que simpaticamente nos falou um pouco acerca da arte de explorar sal - a sua profissão e paixão. Fica prometido para breve uma merecida descrição acerca do local.

DSC00455.jpgDSC00457.jpg

As salinas da Figueira da Foz brindam-nos também com uma fauna e flora muito características e não é raro avistarmos grandes famílias de flamingos, como nos aconteceu há uns tempos atrás. Estão recordados? Não? Ora, cliquem aqui. Muito bonito!

DSC00478.jpgDSC00487.jpg

E vocês, conhecem algumas salinas? Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Novo miradouro de Lisboa

por Os bloggers, em 19.07.17

Situado no Alto da Serafina, no coração do Parque Florestal de Monsanto, o Panorâmico de Monsanto vai finalmente tornar-se num miradouro oficial de Lisboa.

DSC04346.jpgDSC04345.jpgDSC04350.jpg

O Panorâmico de Monsanto é provavelmente um dos locais mais emblemáticos de Lisboa, onde toda a gente quer ir para desfrutar de uma vista panorâmica sobre a cidade e arredores. Nós tivemos o prazer de o visitar numa altura em que era pouco conhecido e ainda não estava muito vandalizado, no entanto, nas sucessivas visitas que fizemos, o número de visitantes indesejados era crescente e o vandalismo tomou conta do espaço. 

DSC04384.jpgDSC02269.jpg

Mas o futuro deste local mudou um pouco na Assembleia Municipal de Lisboa do passado dia 11 de Julho, foi decidido que todo o edifício seria limpo, as zonas perigosas devidamente vedadas ao público e assim que toda esta intervenção esteja terminada, que se prevê até ao final do mês de Julho, será aberto ao público. Ficará assim até às próximas eleições que ocorrem em Outubro e após as eleições prevê-se o lançamento de um concurso de ideias para decidir o futuro do espaço.

DSC02272.jpgDSC04377.jpg

É sem dúvida uma excelente notícia, agora já podemos usufruir daquela espaço livremente sem nos sentirmos "fora da lei" e estamos ansiosos para o visitar nesta nova fase. Vamos poder desfrutar da paisagem com mais calma.

DSC04373.jpg

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

O Borboletário da Quinta de Rana

por Os bloggers, em 13.07.17

O Borboletário da Quinta de Rana, está inserido no Parque Urbano Quinta de Rana em São Domingos de Rana, Cascais.

DSC00259.jpg

O Parque Urbano Quinta de Rana são cerca de 2 hectares de uma antiga quinta que ali existiu e que foram convertidos num agradável espaço para usufruto de toda a população. Existem equipamentos para as crianças, um campo de jogos, um enorme e amplo relvado, uma zona arborizada ideal para um piquenique, uma cafetaria onde é possível comer alguns pratos rápidos (hamburgueres, tostas, saladas) e um fantástico borboletário.

DSC00319.jpg

O Borboletário é um espaço onde é possível observar todo o ciclo de vida das borboletas, os ovos, as lagartas, as crisálidas e finalmente as borboletas. Por fora, a estrutura do borboletário não passa despercebida, facilmente o associamos a um enorme casulo. Já lá dentro, na entrada encontramos alguns painéis informativos sobre as várias espécies que existem na zona de Cascais e também podemos observar algumas lagartas. De seguida entramos para o "jardim" que é composto por flora local, onde é possível caminharmos pelo seu interior ou simplesmente sentarmo-nos a observar as borboletas. 

DSC00318.jpgDSC00313.jpgDSC00305.jpg

Nesta visita tivemos mais sorte do que quando visitámos o borboletário do Jardim Botânico de Lisboa, havia uma quantidade maior de borboletas e mais espécies, das quais salientamos pela ordem das fotos, a Borboleta-Malhadinha, a Borboleta-dos-Cardos, a Borboleta-Monarca, a Borboleta-Nabo, entre outras. Perdemos um pouco a noção do tempo a apreciar a subtileza e beleza daqueles seres tão sensíveis e ao mesmo tempo tão importantes para nós, visto serem um indicador da qualidade ambiental e um pilar muito importante no processo de polinização de algumas espécies de plantas.

DSC00272.jpgDSC00295.jpg

DSC00283.jpgDSC00281.jpgDSC00296.jpg

Se ainda não conhecem, sugerimos que visitem, é fácil estacionar e a entrada é gratuita. Se preferirem uma visita guiada, são 3,5€ por pessoa e tem a duração de 50 minutos. 

Bons passeios!

 

Morada:

Parque Urbano Quinta de Rana
Rua Feliciano Moreira
S. Domingos de Rana

 

Horário:

Julho a Setembro
4ª - dom.: 10h00 - 17h00

Março a Junho e Outubro a Novembro
4ª - dom.: 10h00 - 13h00 | 14h00- 16h00

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

O bonito Jardim Botânico da Ajuda

por Os bloggers, em 30.06.17

Num dos últimos fins de semana fomos visitar o Jardim Botânico da Ajuda.

Ainda não conhecíamos este jardim e foi uma agradável surpresa!

DSC00083.jpgDSC00077.jpgDSC00036.jpg

Fica muito perto do Palácio Nacional da Ajuda, um pouco acima do Jardim Botânico Tropical e de olhos postos no Tejo.

O jardim foi fundado em 1768 e projectado pelo botânico italiano (Domingos Vandelli) a pedido do rei D. José, sendo o principal objectivo deste jardim, a educação dos príncipes.

DSC00105.jpgDSC00108.jpg

Trata-se de um jardim botânico com 3,5 hectares que se dividem em dois tabuleiros - o superior com a colecção botânica e o inferior que corresponde a um jardim de passeio / recreio.

A arquitectura do jardim é renascentista, mas com ornamentos com influência barrouca. O jardim conta com inúmeros exemplares de plantas oriundas de todo o mundo, estátuas e fontes, para além de uma alegre família de pavões.

 

DSC00080.jpgDSC00071.jpgDSC00072.jpgDSC00066.jpg

Hoje em dia além de ser um belíssimo local para passeio, serve também de Unidade de Apoio Tecnológico do Instituto Superior de Agronomia. O jardim está muito bem conservado, excepto no que toca às fontes, que não têm água corrente e parecem necessitar de alguma manutenção, mas sem perderem a sua beleza genuína.

DSC00093.jpgDSC00063.jpgDSC00064.jpg

Para mais informações sobre os horários e o preçário, podem consultar a página oficial aqui.

E vocês, já conheciam este pequeno tesouro "esquecido" na Ajuda?

DSC00059.jpgDSC00116.jpg

Bons passeios!

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

CineConchas 2017

por Os bloggers, em 27.06.17

O cinema ao ar livre está de volta ao jardim da Quinta das Conchas no Lumiar.

Começa esta Quinta-feira a 10ª Edição do CineConchas. A iniciativa é organizada pelo Centro Social da Musgueira em parceria com a EGEAC, está integrada nas Festas de Lisboa e a entrada é livre.

slide-1.jpg

 

 O programa é sempre muito promissor e este ano também não desilude.

 

Programação CineConchas 2017 (21:45):
29 Junho – 
Julieta, de Pedro Almodóvar
30 Junho – Passageiros, de Morten Tyldum
01 Julho – Smurfs: A Aldeia Perdida, de Kelly Asbury

06 Julho – Um Homem Chamado Ove, de Hannes Holm
07 Julho – Amigos Amigos, Telemóveis à Parte, de Paolo Genovese
08 Julho – La La Land, de Damien Chazelle
13 Julho – O Ilustre Cidadão, de Mariano Cohn e Gastón Duprat
14 Julho – Lion – A Longa Estrada para Casa, de Garth Davis
15 Julho – Trolls, de Mike Mitchell e Walt Dohrn

 

Não podem perder!

Site oficial: aqui.

 

Acompanhem-nos também no Facebook e no Instagram.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30


Mais sobre mim

foto do autor


Sigam-nos


O melhor blog do mundo


Instagram




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Links

  •  



  • subscrever feeds


    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.